A incompetência comunicacional do Brasil tira valor do competente agro nacional

Precisamos de experts em comunicação para que possamos melhorar o valor percebido de uma realidade brasileira que sem dúvida alguma ela é muito melhor e muito maior do que o lado negativo

14 de fevereiro de 2020 às 14h46

José Luiz Tejon, direto de Nantes (França).

Direto da França, de Nantes, com jovens do mundo inteiro e é muito importante a gente olhar para o Brasil a partir aqui de fora. E a gente lastima uma coisa, a incompetência comunicacional tira valor do competente agro nacional.

Então quando a gente está aqui na frente de uma juventude não só europeia mas do mundo inteiro a gente tem de ficar explicando problemas que a nossa má comunicação gera, de ruído, de bobagens, de interferências ideológicas, políticas e nós temos uma carência muito grande de uma comunicação simples, objetiva, bonita, fundamentada em coisas sensacionais que o Brasil tem, que o Brasil faz e que aqui não chega.

Pelo contrário, chegam apenas visões conflituosas e negativas. E quando a gente está aqui, a gente tem de ficar explicando isso. Como a OCDE propõe que o Brasil cresça nos próximos cinco, seis anos, 40% do que está fazendo para alimentar o mundo se a gente não vai destruir a Amazônia.

Então a gente não fala aqui das coisas positivas, de LPF, não falamos de uma pecuária sustentável da Amazônia, não falamos dos trabalhos espetaculares da Embrapa, das universidades, de milhares de milhares, um milhão de agricultores e cooperativas. No Brasil a gente não fala isso, portanto ficamos por aqui em uma conversa muito tendo de apagar os devidos incêndios da péssima inteligência comunicacional brasileira.

E no Brasil tem muita gente boa que entende de comunicação. Publicitários brasileiros que ganharam e ganham concursos internacionais de propaganda, jornalistas espetaculares, pessoas que dominam como ninguém redes sociais, monitoramento de redes sociais. Portanto, o que vejo aqui na França, com jovens e professores de várias partes do mundo, China, África, Oriente Médio, América Latina, é o Brasil é simplesmente um espetáculo de coisas fantásticas, porém a nossa incompetência comunicacional tira valor do competente agro nacional.

Está na hora de reunirmos comunicadores, porque comunicação é uma profissão, como outras profissões também o são. Precisamos de experts em comunicação para que possamos melhorar o valor percebido de uma realidade brasileira que sem dúvida alguma ela é muito melhor e muito maior do que o lado negativo.

Temos problemas? Temos, como aqui também tem, o mundo inteiro tem. Agora temos muita coisa boa que não está chegando aos corações e as mentes dos cidadões e consumidores globais, onde o nosso país terá cada vez mais relações de paz comerciais.

José Luiz Tejon, direto de Nantes, França, para o Canal Rural.

A incompetência comunicacional do Brasil tira valor do competente agro nacional

Precisamos de experts em comunicação para que possamos melhorar o valor percebido de uma realidade brasileira que sem dúvida alguma ela é muito melhor e muito maior do que o lado negativo

14 de fevereiro de 2020 às 14h46

José Luiz Tejon, direto de Nantes (França).

Direto da França, de Nantes, com jovens do mundo inteiro e é muito importante a gente olhar para o Brasil a partir aqui de fora. E a gente lastima uma coisa, a incompetência comunicacional tira valor do competente agro nacional.

Então quando a gente está aqui na frente de uma juventude não só europeia mas do mundo inteiro a gente tem de ficar explicando problemas que a nossa má comunicação gera, de ruído, de bobagens, de interferências ideológicas, políticas e nós temos uma carência muito grande de uma comunicação simples, objetiva, bonita, fundamentada em coisas sensacionais que o Brasil tem, que o Brasil faz e que aqui não chega.

Pelo contrário, chegam apenas visões conflituosas e negativas. E quando a gente está aqui, a gente tem de ficar explicando isso. Como a OCDE propõe que o Brasil cresça nos próximos cinco, seis anos, 40% do que está fazendo para alimentar o mundo se a gente não vai destruir a Amazônia.

Então a gente não fala aqui das coisas positivas, de LPF, não falamos de uma pecuária sustentável da Amazônia, não falamos dos trabalhos espetaculares da Embrapa, das universidades, de milhares de milhares, um milhão de agricultores e cooperativas. No Brasil a gente não fala isso, portanto ficamos por aqui em uma conversa muito tendo de apagar os devidos incêndios da péssima inteligência comunicacional brasileira.

E no Brasil tem muita gente boa que entende de comunicação. Publicitários brasileiros que ganharam e ganham concursos internacionais de propaganda, jornalistas espetaculares, pessoas que dominam como ninguém redes sociais, monitoramento de redes sociais. Portanto, o que vejo aqui na França, com jovens e professores de várias partes do mundo, China, África, Oriente Médio, América Latina, é o Brasil é simplesmente um espetáculo de coisas fantásticas, porém a nossa incompetência comunicacional tira valor do competente agro nacional.

Está na hora de reunirmos comunicadores, porque comunicação é uma profissão, como outras profissões também o são. Precisamos de experts em comunicação para que possamos melhorar o valor percebido de uma realidade brasileira que sem dúvida alguma ela é muito melhor e muito maior do que o lado negativo.

Temos problemas? Temos, como aqui também tem, o mundo inteiro tem. Agora temos muita coisa boa que não está chegando aos corações e as mentes dos cidadões e consumidores globais, onde o nosso país terá cada vez mais relações de paz comerciais.

José Luiz Tejon, direto de Nantes, França, para o Canal Rural.