Você sabe o que é um grande vendedor Hard sell?

Hard sell, sim o vendedor que colocava o pé na porta, que era agressivo, que chegava a brigar e discutir com o cliente.Tipo vendedor de uma era onde quem tinha o negócio na mão mandava no cliente e passava por cima que nem um trator. Pois bem, Donald Trump é um mega vendedor ao estilo…

16 de dezembro de 2019 às 08h43

Hard sell, sim o vendedor que colocava o pé na porta, que era agressivo, que chegava a brigar e discutir com o cliente.Tipo vendedor de uma era onde quem tinha o negócio na mão mandava no cliente e passava por cima que nem um trator.

Pois bem, Donald Trump é um mega vendedor ao estilo Hard sell. Bate, xinga, promete, volta atrás e criou uma tremenda guerra comunicacional comercial, colocando porcos espinhos de tarifas nas importações de produtos chineses, tendo como consequência a China colocando taxas sobre produtos americanos, principalmente do agronegócio dos Estados Unidos.

Nós aqui no Brasil curtimos um pouco esse período, mas agora lá vem o bulldog, mega vendedor Donald Trump dando o troco. Anunciou o início da primeira fase do fim da guerra comercial com a economia chinesa. Já aceitou reduzir em 50% as tarifas sobre US$ 375 bilhões em mercadorias chinesas, e já vale para este domingo sem tarifas sobre outros US$ 160 bilhões.

E qual a contrapartida? Lógico, lá vem o grande irmão do norte de um PIB de US$ 20 trilhões incomodar o irmão pobre do Sul, o Brasil, que tem uma economia com um pibinho de somente US$ 2 trilhões.

De olho na reeleição, lá foi Mr. Trump resgatar toda a massa dos produtores rurais americanos. Trump está negociando a compra dos produtos agrícolas americanos e mais acesso das companhias dos Estados Unidos no mercado chinês e aumento da proteção de direitos intelectuais. Quer dizer, uma invasão com blindados empresariais dentro do território da China e um alívio do sufoco da produção agrícola americana.

E o Brasil com isso? Uau, guerra comercial competitiva agora. Boa lição para nós. Precisamos diversificar, desenvolver muitas outras cadeias produtivas, não só depender de meia dúzia delas como carnes, soja e para um cliente apenas.

China US$ 15 trilhões de PIB. Estados Unidos US$ 20 trilhões. Brasil, US$ 2 trilhões. Vamos crescer Brasil e dobrar o agro de tamanho. Mr. Trump, um tremendo vendedor. Estados Unidos de novo no mercado agrícola chinês.

José Luiz Tejon para  Canal Rural

 

 

 

 

 

Você sabe o que é um grande vendedor Hard sell?

Hard sell, sim o vendedor que colocava o pé na porta, que era agressivo, que chegava a brigar e discutir com o cliente.Tipo vendedor de uma era onde quem tinha o negócio na mão mandava no cliente e passava por cima que nem um trator. Pois bem, Donald Trump é um mega vendedor ao estilo…

16 de dezembro de 2019 às 08h43

Hard sell, sim o vendedor que colocava o pé na porta, que era agressivo, que chegava a brigar e discutir com o cliente.Tipo vendedor de uma era onde quem tinha o negócio na mão mandava no cliente e passava por cima que nem um trator.

Pois bem, Donald Trump é um mega vendedor ao estilo Hard sell. Bate, xinga, promete, volta atrás e criou uma tremenda guerra comunicacional comercial, colocando porcos espinhos de tarifas nas importações de produtos chineses, tendo como consequência a China colocando taxas sobre produtos americanos, principalmente do agronegócio dos Estados Unidos.

Nós aqui no Brasil curtimos um pouco esse período, mas agora lá vem o bulldog, mega vendedor Donald Trump dando o troco. Anunciou o início da primeira fase do fim da guerra comercial com a economia chinesa. Já aceitou reduzir em 50% as tarifas sobre US$ 375 bilhões em mercadorias chinesas, e já vale para este domingo sem tarifas sobre outros US$ 160 bilhões.

E qual a contrapartida? Lógico, lá vem o grande irmão do norte de um PIB de US$ 20 trilhões incomodar o irmão pobre do Sul, o Brasil, que tem uma economia com um pibinho de somente US$ 2 trilhões.

De olho na reeleição, lá foi Mr. Trump resgatar toda a massa dos produtores rurais americanos. Trump está negociando a compra dos produtos agrícolas americanos e mais acesso das companhias dos Estados Unidos no mercado chinês e aumento da proteção de direitos intelectuais. Quer dizer, uma invasão com blindados empresariais dentro do território da China e um alívio do sufoco da produção agrícola americana.

E o Brasil com isso? Uau, guerra comercial competitiva agora. Boa lição para nós. Precisamos diversificar, desenvolver muitas outras cadeias produtivas, não só depender de meia dúzia delas como carnes, soja e para um cliente apenas.

China US$ 15 trilhões de PIB. Estados Unidos US$ 20 trilhões. Brasil, US$ 2 trilhões. Vamos crescer Brasil e dobrar o agro de tamanho. Mr. Trump, um tremendo vendedor. Estados Unidos de novo no mercado agrícola chinês.

José Luiz Tejon para  Canal Rural