Com investimento de R$ 15 mi, rede de restaurantes quer ser maior produtora de camarão do país

A Vivenda do Camarão começou a produzir o próprio crustáceo. O objetivo é garantir a oferta constante do produto, que tem oscilado devido a problemas com pragas. A rede utiliza 100 toneladas de camarão por mês para abastecer 160 restaurantes e produzir 700 mil refeições.

Foram investidos R$ 15 milhões no arrendamento de quatro fazendas em Jaguaruana, Ceará, num total de 120 hectares. A espécie cultivada é o Litopenaeus Vannamei. A tecnologia veio do México. A meta da empresa vai além de tornar-se autossuficiente. A Vivenda do Camarão deve produzir 300 toneladas mensais até o fim de 2018. O excedente será vendido no mercado interno e exportado.

“Investimos em um sistema intensivo de berçários, viveiros e estufas cobertas, em um ambiente com rigoroso controle de todos os aspectos físicos e químicos da água, além do controle de temperatura, para que fique constantemente a 32 graus, impedindo a proliferação de doenças, principalmente o desenvolvimento do vírus da mancha branca”, explica o CEO da Vivenda do Camarão, Fernando Perri.

A produção própria de camarão reduziu os custos em 50%. A expectativa é recuperar o investimento em até 2 anos. Perri acredita que a mudança no negócio vai manter a qualidade do produto e a competitividade no mercado. A empresa ainda pretende adquirir uma fazenda em Trairi, também no Ceará, para iniciar a produção em unidade própria.

O cadastramento para exportar camarão in natura para Europa e Estados Unidos já está sendo feito. No exterior, a Vivenda do Camarão (com o nome de Shrimp House) já chegou a Portugal e ao Paraguai. A rede negocia uma parceria para abrir o primeiro restaurante na China 2018.

Fotos: Divulgação. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *