Nova legislação: entenda a MAR-1

Olá amigos agricultores,

No primeiro dia de 2017 entrou em vigor a segunda fase do PROCONVE MAR-1 para todos os modelos de máquinas agrícolas com potência igual ou superior a 75 kW (101 cv) até 560 kW (761 cv).

Desde 1989, o governo brasileiro, através do PROCONVE, Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente, o CONAMA,  vem atuando junto aos fabricantes de automóveis, caminhões e máquinas agrícolas e de construção uma série de normativas para estabelecer diretrizes, prazos e padrões legais para a emissão de poluentes para diferentes categorias de veículos automotores.

^6CF4DA53078FA8D49693AFB80957FFE6DCAEA5C02A370926A7^pimgpsh_fullsize_distr

É uma legislação similar à norteamericana Tier 3 ou à europeia Stage IIIA. Para serem atendidos, os novos limites de emissões da MAR-1 exigem, além de modificações nos motores, a utilização de diesel com teor de enxofre reduzido.

A primeira fase do PROCONVE MAR-1 entrou em vigor no Brasil em 1989 somente para veículos leves. Para as máquinas agrícolas e de construção a primeira fase das apicação das novas normas de emissão de poluentes MAR 1 foi implementada em 2015 para os  modelos com motores de potência igual ou superior a 37 kW (50 cv) até 560 kW (761 cv).

Depois em 2019, tem inicio a terceira fase do processo de atualização das normas de emissão de poluentes para motores de máquinas com potência igual ou superior a 19 kW (25 cv) até 75 kW (101 cv).

E quais são os ganhos nas emissões com esta fase MAR-1?

A nova legislação MAR-1 define limites de emissões dos poluentes monóxido de carbono (CO), hidrocarbonetos (HC), óxidos de nitrogênio (NOx) e material particulado (MP). Se comparada com motores não certificados ou não regulamentados, a redução da poluição de material particulado da fase MAR-1 pode chegar a 85% e a de NOx até 75%.

Para atender aos limites da legislação, novas tecnologias serão empregadas para as máquinas agrícolas e de construção (rodoviárias), como:  Controle eletrônico de injeção – É uma tecnologia comum a muitos fabricantes, introduzido nos motores, que garante maior pressão de injeção e melhor precisão no fluxo de combustível.

^DE426913ADEAD4E86F6D0AD6CE4EE04A1F18C719C44F34F75E^pimgpsh_fullsize_distr

Recirculação do Gás de Escapamento ou Exhaust Gas Recirculation (EGR), em inglês – Tecnologia pela qual o gás de escapamento retorna à câmara de combustão do motor, reduzindo a temperatura da combustão e a formação de óxidos de nitrogênio (NOx). Redução Catalítica Seletiva ou Selective Catalityc Reduction (SCR), em inglês – Nesta alternativa, um reagente líquido (o Arla 32) é pulverizado no gás de escapamento, ocorrendo uma reação química no catalisador que praticamente neutraliza a geração de NOx.

Nos casos da utilização do SCR, pode haver um mecanismo de avaliação conhecido como OBD (On-Board Diagnose), que identifica a presença do Arla 32 e também registra as falhas causadas pelo não uso do reagente.

Além disso, o OBD também poderá reduzir a potência do motor no caso de falta de Arla 32, além de alertar o operador por meio de luzes indicadoras no painel. Quanto ao material particulado (MP), esse poluente é reduzido no próprio motor durante a combustão.

^8A6D82F922E0E6CD74773EFA1110300C47D31EBDA2AD323CA8^pimgpsh_fullsize_distr

E qual é a melhor tecnologia?

Todas as tecnologias apresentam vantagens, dependendo da aplicação da máquina. Cada fabricante selecionou a mais adequada para seus produtos e definiu sua estratégia. Em resumo, a tecnologia EGR reduz as emissões de NOx no interior do motor por meio da reinjeção de parte do gás de escapamento, enquanto a tecnologia SCR reduz as emissões de NOx fora do motor (no catalisador) através de reação química causada pela injeção do Arla 32.

Afinal, o que muda no diesel?

O novo diesel, conforme Resolução ANP Nº 50, de 23/12/2013, apresenta curva de destilação melhor definida, maior número de cetano e menor teor de enxofre.

Como será o consumo e o desempenho das máquinas MAR-1 em relação aos atuais?

Basicamente, espera-se um desempenho melhor das máquinas, principalmente em função dos avanços incorporados pelas engenharias dos fabricantes, resultando em melhorias para o usuário. Para isso, os produtos novos contam com transmissões, motores, eixos motrizes e sistemas de refrigeração mais eficientes, além de mapas dos sistemas de regulagem eletrônica dos motores adequadamente calibrados para a nova tecnologia.

^8A22B770E59B402E93F64A6880FE50DBE2B3D89EE6C4EEC7C6^pimgpsh_fullsize_distr

Com esta resolução o Brasil torna-se o primeiro país da América Latina a ter controle de emissão de poluentes para equipamentos pesados, seguindo o padrão de controle adotado nos Estados Unidos (EPA Tier III) e Europa (Euro Stage IIIA) utilizado a partir de 2006.

Muitos dos fabricantes presentes no Brasil já possuem tecnologia para emissão de poluentes. Alguns equipamentos já são importados com tecnologia TIER IV ou até mesmo produzidos no Brasil com tecnologia TIER III.

O Brasil fornecia ao mercado um diesel de baixíssima qualidade: o S1800 com 1.800 mg/kg de enxofre. Esta especificação do diesel não permitia aos motores atingir as emissões desejadas pelas normas.

Hoje o Brasil oferece, para os segmentos rodoviário e agrícola o diesel S500 e o S10. Com estas especificações é possível atender normas mais rigorosas.

Então até a próxima.

Fonte:  Anfavea – Proconve Mar-1

 

 

3 respostas para “Nova legislação: entenda a MAR-1”

  1. Francisco disse:

    Quanto conteúdo de qualidade nesse site. Que bom que encontrei esse site. Muito bom mesmo. Deveria ter mais sites assim. Abraço.

  2. felipe disse:

    oi gente
    gostei muito desse site, parabéns pelo trabalho. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *