Altas médias marcam leilão em Redenção (PA)

A Mafra Agropecuária promoveu nos dias 7 e 8 de julho seu remate anual em Redenção, no sul do Pará. O primeiro dia de evento, destinado ao gado de corte, já demonstrou o resultado do trabalho de melhoramento genético do nelore na Fazenda São Joaquim III. Foi atingida uma das melhores médias do ano no gado de corte. 1500 animais foram comercializados. Nos machos, o preço médio ficou em R$ 1,38 mil por cabeça. As fêmeas saíram por um valor mais alto: R$ 1,5 mil por animal.

O sul do Pará é um polo de criação de Nelore

Os principais lotes do 7° leilão de Touros Nelore Mafra foram apresentados no dia seguinte. “O gado que foi vendido ontem era uma amostra da produção dos nossos touros. Os animais de ontem são filhos dos touros que serão vendidos hoje. Essa é a ideia do leilão”, afirmou Carlos Alberto Mafra Júnior, o Mafrinha, antes do segundo remate começar.

Paulo Horto, da Programa Leilões, disse que o os bezerros demonstraram a importância do uso de touros melhoradores no rebanho. “É uma genética melhoradora de alto nível. Você nota pelos pais e pelos avós maternos dos reprodutores que o Mafra vem usando o que há de melhor em termos de seleção”, afirmou.

Cerca de 200 reprodutores passaram pelo tatersal. Todos foram vendidos. O preço médio dos touros ficou na casa dos R$ 9 mil. O segundo dia de leilão movimentou mais de R$1,7 milhão.

Cerca de 200 convidados participaram do leilão no tatersal da Mafra Agropecuária

De fato, a genética da Agropecuária Mafra tem se destacado no Brasil. Dois sucessos recentes comprovam o avanço: Kongo TE da Mafra e Kaiak TE da Mafra foram grandes campeões da Expoinel e ExpoZebu. Kaiak foi vendido em maio deste ano por mais de R$ 1,2 milhão.

Filhos dos reprodutores Kongo TE da Mafra e Kaiak TE da Mafra foram comercializados no leilão

Carlos Alberto Mafra Terra, pai de Mafrinha, começou o trabalho de melhoramento genético do Nelore praticamente junto com a criação de gado, há quase 20 anos, na fazenda São Joaquim, em Santa Vitória/MG. “Compramos um gado registrado, com genética de procedência, e logo depois nós adquirimos embriões J. Galera. Aí não teve fim. É um negócio apaixonante que a gente gosta muito de fazer. E você sempre pode melhorar”, disse o promotor do leilão.

A genética da Mafra Agropecuária é reconhecida no Brasil

A fazenda participa do Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos, da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). O responsável pela seleção é o assessor pecuário Luís Sérgio Junqueira Amaral, da Premier. Ele diz que precocidade e beleza racial estão entre os principais objetivos. “Nós estamos em um país onde se valoriza muito a beleza, então o ideal é que você olhe para um touro e goste dele como um todo, que ele seja harmonioso, que ele tenha uma boa estrutura, e, como a raça Nelore é uma raça de corte, que ele vá produzir com eficiência, trazendo retorno o mais rápido possível”, explicou Luís.

Por: Júlio Prestes