“A pecuária brasileira é e ainda será a melhor do mundo, e nós temos a melhor carne do mundo”

Guilhermo Sanchez, João Gabriel, Fernando Barros, Marcelo Moura e Paulo Horto durante a transmissão

Guilhermo Sanchez, João Gabriel, Fernando Barros, Marcelo Moura e Paulo Horto durante a transmissão

Durante esta semana a Polícia Federal cumpriu mandados e apreendeu carnes adulteradas no Brasil, que estariam sendo manipuladas com produtos maléficos à população. O assunto ganhou repercussão mundial e preocupa os produtores de carne do País que cumprem suas normas e deveres. A Programa Leilões, pelas palavras do idealizador Paulo Horto, aproveitou a transmissão ao vivo do Leilão Liquidação de Plantel Nelore AUD deste final de semana, nos estúdios do Canal Rural, na capital paulista, para pedir cautela e cuidado com a divulgação equivocada das informações.

“Eu nasci neste meio, e nos meus mais de 45 anos, eu vi a pecuária sair de uma pecuária arcaica para uma pecuária de liderança mundial. Isso é fruto de um trabalho duro de todo mundo que é envolvido no agronegócio. Todo mundo que é envolvido na pecuária, principalmente dos produtores, das indústrias que obviamente tem o seu mérito, e hoje nós temos orgulho de ter as maiores indústrias de proteína animal do mundo aqui no Brasil”, disse Paulo.

Encerrou dizendo que temos que ter mais respeito com a pecuária brasileira. “É óbvio que os fatos ocorridos devem ser apurados e as pessoas envolvidas em qualquer ato ilícito tem que pagar pelo que fez. Mas, agora, daí generalizar e dizer que a carne brasileira é isso e aquilo. Gente, vamos ter mais responsabilidade de como dar esta notícia, porque hoje, analisando com calma, e ouvindo pessoas, porque não é o Paulo Horto que está falando, e sim ouvindo pessoas que realmente entendem sobre o assunto. Uma coisa é muito certa: A pecuária brasileira é e ainda será a melhor do mundo, e nós temos a melhor carne do mundo”, concluiu.

As palavras proferidas pelo Paulo Horto, durante a transmissão, trazem a essência de toda busca da categoria pelo melhoramento genético, cuja intenção é justamente a qualidade da carne. Se por um lado ainda admite-se que possam existir excessos por alguns atores envolvidos, não se podem desconsiderar todas as iniciativas científicas, tecnológicas e produtivas que caminham no sentido de garantir o contínuo aprimoramento e desenvolvimento responsável do agronegócio nacional.

Atualmente no Brasil já são inúmeros os Programas de Melhoramento Genético feitos por entidades respeitadas, tais como associações de raças, empresas públicas e privadas, e universidades, com trabalhos que realizam avaliações fenotípicas e genéticas que permitem identificar animais melhoradores, aumentando a probabilidade de acerto quando comparado a uma seleção sem fundamentação, ou seja, para entregar um produto cada vez melhor para a mesa dos brasileiros e em outros países.

Leiloeiros e assessores  reforçam opinião sobre a carne brasileira

João Gabriel, Guilhermo Sanchez, Fernando Barros, Marcelo Moura e Paulo Henrique durante transmissão do Canal Rural

João Gabriel, Guilhermo Sanchez, Fernando Barros, Marcelo Moura e Paulo Henrique durante transmissão do Canal Rural

A segunda etapa do Leilão Liquidação de Plantel Nelore AUD, transmitido ao vivo diretamente dos estúdios do Canal Rural, em São Paulo, trouxe novamente a temática que envolve a acusação de fraudes na carne brasileira. Desta vez pelas vozes dos leiloeiros João Gabriel, Guilhermo Sanchez e os assessores pecuários Fernando Barros e Marcelo Moura.

Ambos reforçaram as palavras ditas por Paulo Horto, proprietário da Programa Leilões, que a população não estenda o problema a todas as empresas brasileiras.

“É importante frisar que foram pontos isolados e foram cometidos por uma minoria insignificante de maus profissionais. E a gente sabe que neste Brasil e em outros países também, sempre existem pessoas mal intencionadas. Os responsáveis já estão sendo responsabilizados, alguns já foram presos. E não é toda a cadeia de carne do Brasil conforme se imagina ou deu essa impressão que fosse. Você tenha a tranquilidade de comprar carne de qualidade”, completou o leiloeiro João Gabriel.

Guilhermo Sanchez lembrou ainda sobre a exportação de carne no Brasil que atende mais de 150 países e reforçou a exigência das empresas internacionais na hora de autorizar a exportação.

“Para uma exportação o crivo é muito grande. Não é somente o Ministério da Agricultura que verifica o produto. Eles mandam inspetores internacionais para fazer toda a inspeção para depois colocar a nossa carne lá fora. Então não é por causa de um problema pontual que você possa a vir a ter, que a gente tem que deturpar todo nosso mercado produtivo”, disse Guilhermo.

O Brasil possui mais de cinco mil frigoríficos, e segundo as informações divulgadas por toda imprensa, três diagnosticaram um tipo de fraude.

“Então a gente exige e é solidário a todo mundo que está pedindo um melhor esclarecimento e uma maior transparência nessa divulgação desta operação da Polícia Federal. Uma minoria tão grande não pode afetar a carne vermelha. A mercadoria que nós trabalhamos com muito orgulho, com muito carinho e com muito prazer e com muito amor”, exclamou o assessor pecuário Fernando Barros.

O assessor pecuário Marcelo Moura deixou ainda uma mensagem de otimismo aos produtores rurais.“Isso vai passar, e se Deus quiser provaremos que a carne brasileira é realmente a melhor do mundo”.

Leia mais: Polícia Federal divulga lista com mais de 30 empresas envolvidas na Operação ‘Carne Fraca’