Saiba como a greve dos caminhoneiros afeta o mercado de café e soja

 A greve dos caminhoneiros chega ao quarto dia e as consequências da paralisação são sentidas em vários elos da cadeia do agronegócio. Na cafeicultura, as atividades da maior cooperativa de café do mundo, a Cooxupé, estão interrompidas desde o início da semana.

No mercado de soja os negócios estão travados, de acordo com o analista da consultoria Safras&Mercado, Luiz Fernando Gutierrez.

“O mercado parou.  A gente tem essa paralisação que traz problemas tanto pelo lado da oferta como da demanda. Então a gente não consegue escoar as produções e a demanda também para de comprar, digamos assim. Então a gente não tem realmente um reflexo ainda vistos nos preços de forma relevante. O que a gente vê realmente é um problema nos portos, no escoamento da safra na exportação, que pode mexer com os prêmios, mas de fato nos preços praticados internamente a gente não teve ainda um impacto relevante”, explica.

Veja mais detalhes e a entrevista completa no vídeo:

 

Foto: Marcelo Pinto