Veja porque o relatório do USDA surpreendeu o mercado

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) divulgou nesta quinta-feira o relatório de intenção de plantio para a safra. As informações surpreenderam o mercado, já que a área destinada para a soja veio abaixo do esperado e deve ser inferior ao visto no ano passado. Para o milho, o mercado projetava redução de área inferior a reportada pelo departamento americano. Com área menor para a soja, os preços da commoditie subiram mais de 2,5% na bolsa de Chicago e a cotação do milho avançou mais de 1,5% com a redução maior do que esperado na intenção de plantio.

“O USDA trouxe uma surpresa para o mercado, que estimava um aumento na área da soja nos Estados Unidos ao redor de 330 mil hectares, no entanto ele trouxe uma redução na área de soja em 440 mil hectares”, explica o analista de mercado da Agrinvest, Marcos Araújo.

Segundo Araújo, o cenário de oferta de soja deve ficar mais apertado nos próximos meses.

“No médio para longo prazo o que já era crítico,  uma vez que nós já tivemos essa forte quebra da produção Argentina, fica mas delicado ainda. O potencial de produção de soja norte-americana cai para 116 milhões de toneladas contra 119 milhões do ano passado”.

Veja mais sobre a tendência de preços de soja e milho no vídeo:

No mercado financeiro, o dólar praticamente não reagiu à notícia de que Henrique Meirelles, atual ministro da Fazenda, vai mesmo deixar o cargo. Na próxima semana ele deve passar o comando da pasta para Eduardo Guardia, atual secretário-executivo do Ministério da Fazenda. Economistas estão tranquilos e não projetam reação ruim do mercado de câmbio ao avaliar qualquer risco com o novo titular da pasta.

“Ele é uma figura bastante conhecida, com um perfil técnico bastante alinhado com o que o mercado espera de um gestor da Fazenda ou do Planejamento ou de qualquer área do setor público que envolve política econômica”, explica o economista Pedro Paulo Silveira.

Veja a opinião do especialista sobre a tendência para o dólar com a mudança no comando da Fazenda no Brasil: