Agronegócio é contra criação de fundo em MT para reduzir déficit fiscal

Em Mato Grosso, está em debate a tentativa do governo do estado de criar um Fundo Emergencial de Estabilização Fiscal, o FEEF. A ideia é que por meio de desoneração fiscal e até aumento de tributos seja possível reduzir o déficit nas contas públicas e saldar dívidas com fornecedores que hoje estão próximas a R$ 1 bilhão. Entidades do agronegócio já se manifestaram contrárias a ideia de pagar contribuições ou tributos extras ao estado e até mesmo o vice-governador, Carlos Favaro,  se posicionou contra a medida.

“Quero o bom senso da área econômica de Mato Grosso, da equipe econômica e o bom senso dos deputados. Nós
precisamos achar uma outra solução que não seja a taxação de nenhum setor, não só do agronegócio. O aumento de imposto nesse Brasil é uma aberração, é contra a lógica, é contra o desenvolvimento desse país”, disse o vice-governador.

Veja a entrevista completa com o vice-governador de Mato Grosso, Carlos Fávaro:

O projeto de lei deve ser encaminhado na próxima semana para a Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O secretário de Fazenda, Rogério Gallo, afirma que não haverá uma taxação adicional sobre as commodities do estado e que o PL tem grandes chances de ser aprovado.

“A questão do Fethab sobre o milho é uma questão antiga sobre o estado e é um ponto que vamos deixar para discutir mais adiante. Não será abordado nesse projeto o  Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) sobre o milho”.

Veja a entrevista completa com Rogério Gallo, secretário estadual de Fazenda de Mato Grosso.