Escola de samba do RJ vai criticar agro na Sapucaí

2017 abre o ano com um tema que é um tanto quanto antigo, mas infelizmente ainda muito atual. Desta vez o ultrapassado discurso do “agronegócio vilão” volta para as rodas de conversa, para a televisão e os jornais via Carnaval. É que a escola de samba Imperatriz Leopoldinense pretende levar para o Rio de Janeiro, desfilar e batucar pela Sapucaí ideias como as da ala intitulada “os fazendeiros e os seus agrotóxicos”, tese que deve ser reforçada pelo samba-enredo e por outras surpresas ainda não reveladas pela escola. Essa ideia caluniosa não me representa e tampouco representa o que de fato é a agricultura, a agropecuária, o agronegócio brasileiro.

Na composição samba, letra e alas fica clara a construção do argumento “fazendeiro-destruição x índio-salvação” da floresta, das matas, dos rios, do Brasil. A música começa a tocar com o grito do sambista dizendo assim: “O índio luta pela sua terra e da Imperatriz vem o grito de guerra”. Um pouco mais à frente continua: “… o belo monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios, tanta riqueza que a cobiça destruiu…”. Essa lógica que se pretende apresentar para o mundo inteiro no Carnaval do Rio mostra o quanto muitos brasileiros ainda ignoram o que é o grande talento do país, o agronegócio.

Enquanto o Brasil não enxergar e se orgulhar do seu verdadeiro talento, continuaremos a ser um país miserável. Miséria é a desgraça do desconhecimento cantado na antítese da produção vs. conservacionismo. Eu me pergunto, se essa ideia do “fazendeiro e seus agrotóxicos” fosse verdadeira, será que o Brasil ocuparia mesmo a posição de um dos maiores exportadores de alimentos do mundo?

A questão ambiental e social preocupa cada vez mais e é sabido que nós, consumidores, estamos exigentes, queremos saber a origem, como é feito. Será mesmo que um agronegócio que destrói rios, matas e culturas tem espaço ainda hoje?

Gostei muito da ideia defendida pelo jornalista Fábio Mezzacasa, de que não podemos generalizar. “Existem bons jornalistas e maus jornalistas, existem bons políticos e maus políticos, existem bons agricultores e maus agricultores”, diz ele.

Eu já andei pelo Brasil, visitei cidades do interior e capitais. Vi de perto o que é a agricultura brasileira, o agronegócio do país e digo, por experiência, vivência e convicção que os bons agricultores são a maioria, que o agronegócio não é vilão. Que pena que se atribui a um dos setores mais pujantes da economia brasileira a falsa responsabilidade do enfraquecimento da cultura indígena, que tem seu valor e precisa ser reconhecida por isso, do desmatamento dos rios e matas, sendo o Brasil o país que tem uma das mais rigorosas leis ambientais.

Não é cantando a vilania do agronegócio que a gente vai conseguir avançar. Que pena, Imperatriz, que seu samba canta a tristeza de um discurso retrógrado. Que pena!

Veja nos vídeos as fantasias da escola de samba e conheça a letra da música:

Na página da escola Imperatriz Leopoldinense na internet você pode conferir a letra do samba da escola  e as alas com crítica ao agronegócio.

 

  • Cristiane

    Meus Deus quem está patrocinando essa escola? Para fazer esse tipo de discurso que só atrapalha a informação correta?

    • zoraide

      Em nosso pais aparece pessoas para patrocinar a Escola Imperatriz Leopoldinesse com enredo para prejudicar o agronegócio. Esta situação simplesmente confirma da pobreza de conhecimento dos brasileiros.Quem coloca o pão, leite, arroz com feijão, a carne na mesa dos brasileiros? São as escolas de samba? Os patrocinadores dessa Ideia?

      • Ana Júlia

        Olha Zoraide, o Agronegócio também não coloca pão, arroz com feijão na mesa dos brasileiros. Quem faz isso é a agricultura familiar.

        Depois de muita ração a base de milho e soja cheios de agrotóxicos, e mais uns antibióticos pra garantir a saúde animal, aí vc tem oq alguns chamam de “carne”.

        • vanessa

          Que bom que pensa assim Ana Julia, entao se o agronegocio parar voce vai viver de que ? A agricultura familiar nao da conta nao de colocar alimento na sua mesa sozinho, é uma corrente, e todos deveriam agradecer de joelhos ao agronegocio, ao agricultor que mantem tudo e todos.
          Muito me aborrece ver tamanha falta de respeito e ate de inteligencia para saber a real e fundamental importancia do agronegocio.

          • Ana Júlia

            Vou deixar um link interessante aqui. O resto fica por sua conta, pesquisar, se informar, e entender como o mundo está pedindo por alimentos de verdade, e de qualidade, produzidos com ética, geração de emprego (e não apenas de fortunas) e saúde. E o mundo lá fora está pagando muito bem por isso. Mas infelizmente o Brasil pefere vender merda a preço de banana, porque foi somente isso que nos ensinaram a fazer. Aprender a fazer as coisas melhor, com mais sofisticação, dá trabalho né? Melhor pegar a Hilux e ir fazer compra no Paraguay.

            http://g1.globo.com/fantastico/videos/t/edicoes/v/fonte-da-juventude-a-producao-de-organicos-em-larga-escala/5548997/

          • Rogério Anese

            Vanessa. Ambos são importantes para economia do país. A Agricultura familiar responde por 70% do alimentos que está na mesa do brasileiro. Uma pena que tanto a agricultura familiar quanto o agronegócio não são valorizados como deveriam.
            Agora para essa tal escola de samba: será o agricultor o vilão, o desmatador? e a madeira? será que não tem outros segmentos que lucram muito mais com o desmatamento?

    • Filipe

      Dever um daqueles riquinhos que receberam seu patrimônio de herança e não sabe como utilizar seu dinheiro que injeta dinheiro naqueles vagabundos sem serviço daquele povo de Green Peace que por sua vez devem estar patrocinando esses tolos da Imperatriz.

    • Angélica Stabile

      Um absurdo!!!!!

  • Alberto Ghesti

    De onde será que os sambistas acham que vem a carne do churrasco e os insumos que produzem a cerveja que eles tanto apreciam?

    • Everton

      Bem, para começar, esse pessoal se alimenta do quê?
      Outra coisa, indio além de não produzir nada, não contribui de forma alguma para o bem da natureza. Falo isso porque sei. Trabalho em uma fazenda que fica próximo a aldeias indigenas da etnia Xavante no Mato Grosso, eles vivem de bolsa familia, não plantam sequer um pé de mandioca para seu consumo, saqueiam fazendas, invadem e matam gado, chantageiam fazendeiros pedindo gado em troca de não entrar em suas propriedades, andam com carros na rodovia BR 158 que é muito movimentada, carros estes sem condições de trafegar trazendo perigo para eles próprios e para os outros condutores de veículos, além de outras coisas que eu poderia ficar o dia todo falando mas eles não valem a pena.
      Ouvi certo dia a garota do tempo da rede globo ironizar dizendo que o Mato Grosso pra variar estava novamente liderando os focos de incêndio no Brasil. Vocês sabem por quê?????
      Vou lhes falar: porque indio coloca fogo no mato pra caçar. E esse fogo se alastra para fazendas e reservas além do controle. Existe também alguns fazendeiros que usam essa prática ainda, mas são muito poucos, porque se o fazendeiro queimar sua fazenda, o que seu gado vai comer???
      Bem vou parar por aqui porque ja ta me revoltando só de escrever.

      • vanessa

        Parabéns Everton. Sou filha de produtor, moro no sitio, tenho maior orgulho de pertencer a uma família que sustenta o mundo. Ideal seria todos do agronegócio paracem de produzir, dai os demais pedir para os indios caçarem pra vocês

  • reginaldo oscar pereira pereir

    lamentável esse tipo de abordagem. Paises desenvolvidos tem no agro a grande solução para seus problemas e nem por isso desmatam e agridem o meio ambiente. O nosso povo precisa ser melhor informado que ser fazendeiro no Brasil não é crime e sim solução para a mesa do mundo.

  • VIVIAN NOTHEN nothen

    Eu sou agricultor sou pecuarista leiterio fizemos de tudo para preservar a natureza e so tenho uma coisa para disser sobre isso tenho vergonha de ser brasileiro

  • Luís Alberto

    A própria Constituição Federal diz que a produção está entre as principais funções sociais do imóvel rural, os mananciais de água são tão importantes para a população rural quanto para população urbana, não podemos ignorar também a crescente demanda por alimentos no Brasil e no Mundo, nesse sentido deve haver rigor na fiscalização ambiental, principalmente quanto à preservação das nascentes mas sem generalizar, pois são muitos os produtores que respeitam a legislação e cumprem fielmente sua função social, não podemos aceitar essa injustiça de pessoas totalmente alienadas que não sabem absolutamente nada sobre o trabalho no campo e sua importância para o Brasil e o Mundo…

  • Fernando

    E vcs acham que quem deve estar patrocinando está escola este ano??? Um tema desses do nada? ?? Kkkk babacas. Devem comer só pasto.

  • KAKA

    No Brasil é assim, enquanto tem gente fazendo folia, cantando bobagem em uma festa pagã…tem gente trabalhando e suando para colocar comida na mesa de todos! Folia de agricultor é chuva! vinda do céu, graça do nosso Bom Deus!

    • Laiz

      Opaaa.. mandou bem!!
      Até porque parte dos agricultores vão pular carnaval em cima de um trator ou colheitaderia, colhendo e plantando, soja, milho, feijão, arroz.
      tirando leite, pq a maioria não sabe que vaca se ordenha todo dia!!!..

    • Angélica Stabile

      DIRCEU N. GASSEN ELDORADO DO SUL – RS 05/01/2017 15:19

      A agricultura, a riqueza, o carnaval e a alegria…
      A agricultura Brasileira experimentou evolução extraordinária nos últimos 40 anos, com base na tecnologia e na eficiência do agricultor. A produção mundial de alimentos contrariou as teorias de Thomas Malthus, que em 1789, previa o colapso da população humana por falta de alimentos.
      A importância da agricultura foi destacada na hierarquia das necessidades do ser humano, por Abraham Maslow, que posicionou a alimentação e o conforto pessoal como a base da pirâmide que sustenta a auto realização das pessoas.
      Em 2017 ouvimos com tristeza, a proposta de uma escola de samba, no carnaval do Rio de Janeiro, anunciando tema relacionado com a ”demonização do agricultor” que ”explora indígenas”, ”usa agrotóxicos”…
      Estudiosos da economia demonstram que devemos ter respeito aos elementos capazes de gerar alimentos, emprego e riqueza. A agricultura no Brasil é a principal propulsora da economia, da geração de renda, de empregos e de paz (alimentos).
      O carnaval tem origem na alimentação farta, na bebida, na diversão, na alegria e nos prazeres que precedem a fase de jejum.
      Para os que apreciam a cerveja no carnaval, lembrem que a bebida tem origem na cevada, produzida por um agricultor, que cultivou a semente, manejou a planta, protegeu contra pragas e doenças e garantiu a sanidade e a qualidade do produto final.
      Um hectare de cevada, conduzido pelo agricultor, produz de 3 toneladas de grãos. Na indústria, esses grãos produzem 2.100 kg de malte, que geram 18.600 litros de cerveja.
      O que equivale a mais de 50 mil latas de 350 ml de cerveja.
      O agricultor receberá R$ 1.800,00 pelos grãos de cevada produzidos por hectare. Ele teve desembolso aproximado de 1.500 reais para produzir, sem considerar os riscos de clima, mercado, preços. Gerou R$ 300,00 de lucro.
      O consumidor pagará R$ 5.00 por lata de 350 ml de cerveja, o que equivale a R$ 250.000,00, gerado com base em R$ 1.800,00 de grãos de cevada.
      O agricultor, que produz a cevada, participará com 0,72% do valor dessa cerveja consumida no carnaval com base no preço de R$ 5,00 por lata de 350 ml.
      Não há ”almoço de graça” e todos os segmentos da economia necessitam gerar renda, ocupação digna de mão-de-obra e de autoestima.
      Devemos, no mínimo, exigir respeito de segmentos da sociedade que consomem alimentos todos os dias, que se beneficiam da geração de riqueza impulsionada pelo agricultor.

    • Angélica Stabile

      Exato!!!

  • Arthur Riul

    Quanto mimimi, tanto da jornalista quanto dos comentários. Totalmente imparcial essa reportagem. O agronegócio se fazendo de vitima, chega a ser patético.
    É possível sim produzir em larga escala, de forma correta e respeitando o ambiente, fazemos um lindo trabalho aqui no Sitio São Sebastião, tirando cana e plantando Sistemas Agroflorestais. Estamos trazendo vida aos solos, enriquecendo-a com micro e macro-fauna. O revés disso? Mais trabalho!! Não utilizamos atalhos como venenos para acabar com plantas espontâneas, não usamos adubos minerais para fortificar nossos frutos, usamos nosso trabalho. Fazemos nosso composto, plantamos nossa cobertura. Isso sim é respeitar a natureza, produzir de formar correta.
    Pesquisem os trabalhos da Fazenda da Toca, da Korin, do Sitio Jatoba. Eles são exemplos de como agricultura no Brasil deveria ser encarada.
    Então parem com esse xororô. Se o modelo de agricultura que vocês fazem não está dentro dos padrões ambientais, ok. Escolha de vocês. Agora não fiquem se vitimando, que isso chega a ser vergonhoso.

    • Mário

      Como você mesmo falou, sítio né amiguinho… Quero ver fazer isso em uma fazenda de 10, 20, 30 mil hectares como as que têm aqui no MT!
      O agro ainda é o que movimenta o Brasil, conheço todo o trabalho da Fazenda da Toca e pode ter certeza que boa parte do produto final é comprado apenas por quem tem um poder financeiro maior!

    • William

      Queria saber o tamanho da área? Para produzir com sistemas orgânicos e agroflorestais, sabemos da importância e o risco de se usar qualquer agroquímico, agora quero ver você produzir 50 mil ha de soja, utilizando a enxada e mão de obra, sem o uso!
      Se está falando em sítio, eu acredito na eficiência, agora não venha falar com propriedade sobre a produção sem utilização de agroquímicos, que nos dias de hoje, com a demanda por alimento, é impossível no Brasil!!

    • João Filipe

      Você muito provavelmente nem sabe do que fala, um acéfalo ambientalóide que não sabe a diferença de um sitio produzir frutas e um país produzir 200 milhões de toneladas de grão que é a mantença derradeira dessa país, vergonhoso aqui é ver acéfalos como vossa senhoria defenderem a demonização dos heróis verdadeiros desse Brasil, que são os agricultores que geram a cada dia mais empregos e deixam nossa balança comercial positiva, fornecendo recursos para todos os serviços básicos como saúde e educação. E antes do mimimi, Sou engenheiro agrônomo, sei bem o que falo.

    • Alfredo

      Se você tem o que comer hoje, agradeça ao agronegócio ao agricultor e ao pecuarista!

    • gabo

      vem tenta produzi algo sem alg tipo de veneno p se ve se vai sobrar algo na sua lavoura !!

    • Armando Niedermayer

      Mimimi é o teu comentário. Meu caro, Arthur, sem o agronegócio o Brasil não teria saído da Toca. Somente através do agronegócio a agricultura familiar conseguiu o milagre da produtividade, que faz que haja necessidade de menos área para produzir os alimentos que o mundo necessita. Mas o agronegócio não impede os projetos de culturas tradicionais, mas que jamais suprirá o mundo com alimentos, salvo se insituirem a castração de todos os que só sabem fazer um grande número de filhos, que precisam ser alimentados. Acabem com o agronegócio e reduzirão pela metade, em tempo recorde, a população da terra, QUE IRÁ MORRER DE FOME !!!!

    • Miguel leal

      Quero saber a quantidade de Bocas que voces alimentam, o tamanho da área? Eu quero ver tu se auto sustentar produzindo em 50 mil hectares e servir alimento pro Brasil e o resto do mundo. Esse críticos que difamam os produtores não sabem o mínimo necessário pra produzir o alimento, só sabem criticar. Obs. Se tiverem insatisfeitos com o modo de produção agrícola química, produziam seus alimentos em casa e deixem nos trabalhar. O mundo precisa se alimentar…

    • Claiton

      O que vocês plantam nessa fazenda? Alfaces! Vão produzir pêssegos, ameixas, maçãs, uvas com a qualidade que o mercado exige hoje em dia, pagando miséria, onde vou precisar de mais de cinco kilos de pêssego de boa qualidade para poder comprar um litro de gasolina… Cansei de ver frutas irem pro descarte apenas por terem um pequeno defeito na sua aparência, sem comprometer seu sabor, e sem estarem podres ou bichadas… Parabéns ao povo que pensa que qualidade cai do céu, que a exigem, querem a todo custo, sem um pingo de agrotóxico… Se querem frutas “saudáveis”, aprendam a abrir mão da aparência visual, e comam os alimentos com a boca, não com os olhos… Esse é meu ponto de vista sobre os agrotóxicos, não que seja a favor deles, defendo seu uso racional e consciente…

    • Filipe

      Falar em produzir sem utilizar químicos em geral é fácil quando se planta uma área do tamanho do mangueiro da terra do meu avó, aonde você consegue matar os insetos no beliscão. Se liga estamos falando de grandes produtores e não em projetos.

      • Itamar Maschio

        Eis a questão. Seu avô deve produzir soja pra exportação e não arroz, feijão, batata…quem produz nossa alimentação é o cara que caça inseto na unha.

        • alysson

          um cara que caca inseto na unha vai dar conta de produzir para alimentos para 206 919 694 pessoas? ata bem capaz mesmo

        • alysson

          um cara que caca inseto na unha vai dar conta de produzir para alimentos para 206 919 694 pessoas? ata bem capaz mesmo

        • Tais

          Kkkk como se só se produzisse soja pra exportação! Acorda meu filho o porco que você come, o bofe e o franguinho na panela só existe graças a malvada “soja da exportação”!

          • Filipe

            Isso mesmo Tais, essas pessoas não conhecem o seguimento agro só conhecem a facilidade de ir no supermercado e compra os alimentos.

        • Tais

          Kkkk como se só se produzisse soja pra exportação! Acorda meu filho o porco que você come, o bofe e o franguinho na panela só existe graças a malvada “soja da exportação”!

        • Filipe

          Primeiro você entende a separação entre produtores familiares, médios produtores e grandes produtores?

          • Itamar Maschio

            Talvez eu entenda um pouco, já que atuo na área de tributação municipal, mais especificamente atuando junto a fiscalização de blocos de produtores rurais.

  • Fábio Lima

    Sou empresário da área de saúde em Fortaleza/CE, mas tenho grande apreço e acompanho o movimento do agronegócio, por achar bonito, interessante e importante para nossas famílias e país. Infelizmente mais uma vez vejo pedras atiradas em inocentes e apresentamos nossa mediocridade com exposição internacional, para piorar fazemos isso com o responsável por 1/3 do PIB de nosso país, mas esse problema não é do agro, na verdade é do brasileiro, historicamente não somos preparados para apreciar o sucesso, nem mesmo o nosso, não sabemos valorizar nossas conquistas, pelo contrário, só criticamos, reclamamos e pouco fazemos, somos daquele estilo não faço e sou contra quem faz. Vi essa semana algo sobre “Ubuntu” palavra africana que quer dizer: “Eu sou por que nós somos”. Temos que ser e estar juntos, principalmente se quisermos ser grandes, se 1/3 está movimentando nosso pais através do agro faltam 2/3 para ajudar, ou pelo menos para não ATRAPALHAR ! Lamento bastante o mau gosto, ignorância e infelicidade na escolha da escola de samba e como disse Kellen no texto acima, essa ideia realmente não me representa.

  • Arthur Riul

    http://ciclovivo.com.br/noticia/estudo-mostra-que-agricultura-organica-pode-alimentar-o-mundo-inteiro/

    Obviamente a rentabilidade financeira nunca será igual ao modelo convencional. Porém devemos botar na balança se essa rentabilidade compensa os danos na saúde, no ambiente e social, das pessoas envolvidas.

    • Mel

      Vai falar c o ladrão do lula e sua corja q roubam o Brasil em benefício próprio!!! Veja quantos alqueires de terra o desgraçado do filho dele tem e pergunte como ele adquiriu tudo aquilo, com trabalho honesto que não foi, diferente dos agricultores do nosso país que conseguiram na raça e com muito trabalho e dão o pão de cada dia da maioria da população inclusive, acredito eu, que o seu tbém!!!
      Chega de mimimi mesmo, só quero ver se na sapucaí vai falar disso!!!! Vão carpir um lote que ganham mais!!!!!
      #semagriculturaobrasilmorre#agricultornaoébandidoétrabalhador tomara que vc caia pro grupo de acesso com esse tem imperatriz leopoldinense, os fazendeiros estão na torcida!!!!!

      • Filipe

        Parabéns você merece meu respeito. Estamos juntos.

    • Filipe

      Não o que vai matar mais depressa, o agrotóxico que utilizamos nas lavouras ou você sem comida?

    • Odair Kunzler

      Quando você tiver um câncer aos 40 anos, decorrente da exposição aos pouquíssimos agrotóxicos que os lavoureiros brasileiros utilizam, daí você volte aqui e conta-nos sobre essa compensação econômica.

      • Filipe

        Num pais de clima tropical igual o nosso aonde a proliferação de pragas e doenças é enorme é fácil ambientalistas que não tira a bunda da cadeira do seu escritório para conhecer a verdadeira realidade. Para nós é melhor produzir sem a utilização de agrotóxicos, no qual reduziríamos o custo de produção em aproximadamente 75%, só que acontece que se não usarmos os agrotóxicos que vocês tanto batem na tecla a produção brasileira seria reduzida em mais ou menos 80% ou seja se já tem quem passa fome esse teria uma aumento de grandioso, pense melhor o uso de agrotóxico quem nem as pragas andam matando ou você passar fome, não ter a sua cerveja gelada do fim de semana sua carne assada, não ter o sorvete que seus filho gostam de tomar nos dias de calor. Pense nessa fala, não te falo como Eng. Agrônomo e muito menos como produtor de grandes culturas e sim como uma pessoa normal que esta ficando contrariado com esses tolos que se deixam levar por pessoas que não vivem do que pregam, uns ambientalistas hipócritas que acreditam que a vida é como aqueles tolos escrevem nos livros.

      • Vinicius Mathias

        quando vc tiver que pagar um valor absurdo pelo seu alimento, e não houver mais mata nativa por causa da grande perda que caracteriza os métodos “orgânicos”, você irá voltar aqui xingando o governo que não deixa ninguém produzir em paz!

  • Jader Moraes

    O agronegócio foi exaltado no carnaval carioca (com gordos patrocínios da CNA, BASF etc) em 2011 com a Mocidade, 2013 com a Vila campeã do carnaval, 2016 com a Unidos da Tijuca vice-campeã (sobre a cidade de Sorriso)…
    Em 2017, uma escola, que tem um belíssimo enredo sobre o Parque Indígena do Xingu, vai fazer uma crítica pontual ao setor. É proibido, gente? Não pode? “Tem que rever”? Que isso, você estão muito antidemocráticos.

    • Maria Ignez Pura

      Se a carapuça serviu, é pq tem culpa no cartório !!! kkkkkkkkk

    • Filipe

      Proibido não é não, mais pensem seu miolo de ervilha, tudo que você consome é proveniente do agronegócios, ou você acha que o arroz que você pega na prateleira do supermercado brotam lá, que a carne que você come no almoço é fabricada nos frigoríficos, e essa camisa xadrez que você veste tudo provem do agronegócio, é fácil falar chega a ripa nas costa dos produtores rurais mas venham experimenta passa um dia na pele de um produtor rural para poder dar pitaco na onde vocês não tem conhecimento seus miolo de galinha.

      • Itamar Maschio

        Realmente o arroz não brota na prateleira, mas também não vem do agronegócio. Quem nos alimenta é o agricultor familiar.

        • Usadao Cacheira

          Kkkk sinal que vc entende…..Achas que agricultura familiar vai concegui alimentar uma população que só tende a crescer??? Talvez sim mas do jeito que tão as coisas ta complicado amigo….

          • Patricia

            Concordo com voce!

          • Patricia

            Concordo com voce!

          • Mais do que evidente que a moçada “progressista” não tem nem noção do assunto sobre o qual discorre com assaz desenvoltura. Arroz irrigado é – antes de ser uma lavoura – uma obra de engenharia. Já trabalhei para os maiores produtores de arroz irrigado do planeta, no RS (à época). Quem construiu aquela infraestrutura, construiu. Quem não construiu, não construi mais. Esquece….

          • Mais do que evidente que a moçada “progressista” não tem nem noção do assunto sobre o qual discorre com assaz desenvoltura. Arroz irrigado é – antes de ser uma lavoura – uma obra de engenharia. Já trabalhei para os maiores produtores de arroz irrigado do planeta, no RS (à época). Quem construiu aquela infraestrutura, construiu. Quem não construiu, não construi mais. Esquece….

        • Usadao Cacheira

          Kkkk sinal que vc entende…..Achas que agricultura familiar vai concegui alimentar uma população que só tende a crescer??? Talvez sim mas do jeito que tão as coisas ta complicado amigo….

        • Patricia

          Kkkkk..ata que e o agricultor familiar!para de ser ignorante agricultura familiar nao supre um terco do que o pais precisa

        • Patricia

          Kkkkk..ata que e o agricultor familiar!para de ser ignorante agricultura familiar nao supre um terco do que o pais precisa

        • alysson

          o arroz nao brota no prato ele cai no ceu ne, agricultura familiar muitas vezes nao suprem nem para eles mesmos, ata que vai suprir para o brasil inteiro

          • É. Eu queria ver esses “jênios” (a maioria nunca cultivou nem feijão no algodão na aula de ciências) cultivando arroz irrigado numa prosaica horta do jardim de inverno, ou mesmo num sítio. Legal, deve ser. Um sítio com açudes, levantes, elevadores, silos, pista pro avião agrícola etc…#SQN #SabemDeNaaadaaaInoceenteessss

          • É. Eu queria ver esses “jênios” (a maioria nunca cultivou nem feijão no algodão na aula de ciências) cultivando arroz irrigado numa prosaica horta do jardim de inverno, ou mesmo num sítio. Legal, deve ser. Um sítio com açudes, levantes, elevadores, silos, pista pro avião agrícola etc…#SQN #SabemDeNaaadaaaInoceenteessss

        • alysson

          o arroz nao brota no prato ele cai no ceu ne, agricultura familiar muitas vezes nao suprem nem para eles mesmos, ata que vai suprir para o brasil inteiro

        • José fontoura

          José fontoura

        • José fontoura

          José fontoura

        • José fontoura

          Quem te disse tamanha besteira….. Noventa por cento do arroz brasileiro e produzido no Rio Grande do Sul….E não é por agricultor familiar, tu és mais um desinformado que anda falando o que não sabe por aí…

        • José fontoura

          Quem te disse tamanha besteira….. Noventa por cento do arroz brasileiro e produzido no Rio Grande do Sul….E não é por agricultor familiar, tu és mais um desinformado que anda falando o que não sabe por aí…

        • Élcio

          O agricultor familiar é outro setor isolado do agronegócio ???? Essa é nova pra mim.

          • José Casimiro Jr.

            Kkkkk pra mim Tb. Como são dementes

        • Élcio

          O agricultor familiar é outro setor isolado do agronegócio ???? Essa é nova pra mim.

        • Filipe

          A dimensão de áreas utilizadas pela agricultura familiar varia de estado para estado de município para município, agricultura familiar compreende a áreas de ate 4 módulos fiscais, outra coisa não é porque é agricultura familiar que não se usa agrotóxico tem muitos alimentos que se dizem orgânicos que apresenta agrotóxico. Rapais os agricultores familiar tem ano que não conseguem suprir a si mesmos um exemplo a safra 15/16 pesquisa se em São Paulo algum produtor familiar conseguir produzir alguma coisa.

        • André Cunha Marinho Maia

          Agricultura familiar que mantém a cadeia produtiva do arroz? Esperemos a publicação dá próxima asneira!

        • Angélica Stabile

          Eu não posso acreditar que alguém realmente acredite que a agricultura familiar possa colocar os alimentos no mercado para suprir a necessidade do país/mundo! Por favor!!!!

        • José Casimiro Jr.

          VC não escreveu isso. Vai ser burro assim lá no inferno

        • Renato muller

          Burrice é doença, tu deve estar em fase terminal pra afirmar que o arroz produzido na Brasil vem da agricultura familiar que produz basicamente do o que consome. Se vê claro q jamais viste uma lavoura de arroz e provavelmente de qualquer outra cultura. Ecologia radical vai aumentar ainda mais a fome no mundo. Te atualiza antes de escrever bobagens.

      • RM

        Nervoso, cara?! Não sofra, trabalhe para uma agricultura mais limpa e tire o brasil do topo dos consumidores de agrotoxicos. Ah, gastem menos recursos hídricos. Ah, não tomem como pessoal o que é crítica social. Ah, não desqualifique seu oponente, isso indica o tamanho do seu argumento. Ah, não desvalorize o miolo da ervilha e nem o da galinha, pois são frutos do agro negócio. Ah, seja humilde e não sofra por não ser o maioral.

        • Filipe

          Não tem como ser humilde com umas pessoas que não sabem o que falam, sobre o topo dos agrotóxicos pega a quantidade de agrotóxicos contidos nesse ranking e divide por dois e compara com a quantidade de agrotóxicos dos outros países, antes que você pergunte porque dois é porque no Brasil nos fazemos duas safras diferente dos outros países. Depois que você comparar deixe aqui sua conclusão!

          • Wilian

            Dai voce faz essa mesma conta e divida por kilo de alimento produzido e veja que o brasil e o que menos consome agrotoxicos por kilo produzido. Procura um artigo na internet da emprasa klefmann e se informe um pouco mais cerebro de ervilha. Uma coisa concordo ctg, agrotoxico devia ser proibido mesmo, pq a gente aqui do interior sobreviveria muito produzindo pra consumo, diferente de vcs que precisam da gente pra ter o que comer, produzido com uso de agrotoxicos para que as pragas nao destruam o que e comercializado e chega aos grandes centros.

        • José Casimiro Jr.

          Isso é mito seu esgoto. Olhe para a fome no mundo, olhe para o PIB do Brasil, que se não a agricultura estamos em uma crise pior. Lixos. Favor não reproduzirem

          • RM

            Não entendi algumas passagens, senhor. O que é Mito, defina, por favor. Seu esgoto…o pronome possessivo aqui indica o esgoto da minha casa? qual a relação do esgoto da minha casa com a agricultura? Ou eu deveria relacioná-lo ao agrotóxico? Como se olha o PIB. Ele fica guardado num determinado lugar, aí a gente pede pra ver?

          • Fernando Silva Tamvampong

            Lógico que produzimos muito, país desenvolvido desenvolve tecnologia e não fica plantando batata. País decente produz bmw. Bosh. Software. Automação. Tecnologia. Vendemos um navio de soja pelo preço de 1/2 dúzia de carros. Agroindustria ajuda a manter o nosso atraso.

      • RM

        Nervoso, cara?! Não sofra, trabalhe para uma agricultura mais limpa e tire o brasil do topo dos consumidores de agrotoxicos. Ah, gastem menos recursos hídricos. Ah, não tomem como pessoal o que é crítica social. Ah, não desqualifique seu oponente, isso indica o tamanho do seu argumento. Ah, não desvalorize o miolo da ervilha e nem o da galinha, pois são frutos do agro negócio. Ah, seja humilde e não sofra por não ser o maioral.

      • Fernando Silva Tamvampong

        Já fui produtor rural. Mafia do inferno. Agrotóxico até na alma. Mudei meu hábito alimentar graças a esta experiência. Se tudo que consumo provém do agronegocio, eh mais um motivo para exigir qualidade e menos veneno no meu prato. Vamos sambar

    • Wilian

      Critica pontual com que fundamento? Que os indios tem mais do que o dobro de terra agricultavel e nao produzem nada. Esse pessoal ai nao deve ter conhecimento algum sobre os sistemas de producao do agronegocio, nao sabem da necessidade do uso de agrotoxicos para atingir altas produtividades e em pouca area, sabendo que ate 2050 precisa se dobrar a producao agricola sem abertura de novas areas.

    • Edivaldo

      Nossa povo faz uma tempestade com um copo d’água, só porque no samba enredo tem dois versos e terá duas alas que faz crítica a agricultura. Críticas tem que ser feito . E não está em jogo a importância e nem forma maravilhosa que muitos agricultores vem desenvolvendo seus trabalhos. Tenho conhecimento e sei da importância da agricultura pra todos nós. Agora tb não é legal detonar esse enredo, que por sinal é belíssimo e vai ser desfile pra ficar na história.

  • Ribamar Ribeiro Junior

    PARABÉNS A ESCOLA DE SAMBA PELA ESCOLHA!!!

    • Luan

      Kkk planta uma coisa sem veneno pra vc ver kk

      • Usadao Cacheira

        Falar é fácil fazer que eo difícil…Depois que todos comem arrotar no prato é fácil mas agradecer o Produtor Rural já é um pouco difícil né….

      • Usadao Cacheira

        Falar é fácil fazer que eo difícil…Depois que todos comem arrotar no prato é fácil mas agradecer o Produtor Rural já é um pouco difícil né….

    • Filipe

      Sério mesmo que você disse isso, por acaso você não toma café da manhã almoça lancha janta e ainda faz uma refeição na volta do dia. Vai caça serviço vagabundo em vez de opinar na onde seu conhecimento não alcança.

      • Ribamar Ribeiro Junior

        VAGABUNDO É VC!! Se não tem argumento não entre no debate, é muito pífio colocar esses elementos como se isso o bastasse. Soberania alimentar é produção sem esse engodo que você acha que só é possível! Trabalhos na ótica da agroecologia, produção sustentável. Enquanto você defende o agronegócio que mata e desacata!

        • Anderson Rodrigo Totti

          Discordo de vc Ribamar Ribeiro Junior não é o agronegocio (Que mata e desacata)!São os seres humanos iracionais que fazem isso.Sou agricultor e falo com propriedade.Nas cidades de modo geral se poluem muito mais que no sitios e fazendas…o sabão que na cidade lavam as ruas vai para os rios assim como todo lixo hurbano que é jogado de forma iracinal em vias publicas….o agricultor é quem mais se planta mata ciliar neste pais e na cidades quem ta fazendo e fiscalizando isso ….Vc ja viu a margem do rio tiete dentro de São Paulo?Porq não reflorestam tmbm!!!????dentre tantas outras cidades!!!!Se quizer conhecer venha no sudoeste do estado de São Paulo que te mostro melhor para vc entender!!!O Equilibrio natural vem do ser humano não da atividade especifica!!!Existe a agricultura sustentavel e em nosso pais é a agricultura que sustenta!!!!! Ass:Artotti.

          • Elcio

            Isso mesmo Anderson. Quem critica o agronegócio é esse povo criado em apartamento q não sabe diferenciar um pé de milho e um pé de soja. Ou melhor, não sabe a diferença entre um pé de soja e um pé de boi. E q que fique claro pra uns aí q agrônomia não é só produzir soja pra exportação, mas engloba muita coisa, basicamente tudo q tem nas gôndolas do supermercado, mas tbm o coro e a borracha do calsado que usamos… O agronegócio usa produtos fitosanitarios sim, mas acredito q isso densa a reduzir, muito está sendo investido e estudado em produtos biológicos, inimigos naturais e indução de resistência de plantas para reduzir o número é volume de aplicações.
            Vamos ser mais racionais e ver os dois lados das coisas, não seja o estremistas. Pessoas estremistas são ignorantes q só enxergam seu próprio umbigo.. temos q ver os dois lados dá moeda pra saber se ela é verdadeira ou falsa.
            E pro povinho dá cidade grande ai, vam cuidar um pouco da poluiçao dos seus altomoveis e dos rios q contaminam, q no interiorsão do Brasilzão deixa pra nos profissionais do AGRO cuidar, q isso aqui vcs entende menos q motor de avião.
            Tchau brigado

        • Anderson Rodrigo Totti

          Discordo de vc Ribamar Ribeiro Junior não é o agronegocio (Que mata e desacata)!São os seres humanos iracionais que fazem isso.Sou agricultor e falo com propriedade.Nas cidades de modo geral se poluem muito mais que no sitios e fazendas…o sabão que na cidade lavam as ruas vai para os rios assim como todo lixo hurbano que é jogado de forma iracinal em vias publicas….o agricultor é quem mais se planta mata ciliar neste pais e na cidades quem ta fazendo e fiscalizando isso ….Vc ja viu a margem do rio tiete dentro de São Paulo?Porq não reflorestam tmbm!!!????dentre tantas outras cidades!!!!Se quizer conhecer venha no sudoeste do estado de São Paulo que te mostro melhor para vc entender!!!O Equilibrio natural vem do ser humano não da atividade especifica!!!Existe a agricultura sustentavel e em nosso pais é a agricultura que sustenta!!!!! Ass:Artotti.

      • Itamar Maschio

        Quem produz alimentos é a agricultura familiar. Agronegócio produz soja para exportar.

        • Eraldo Jose Dutra Gil

          Itamar. Ainda existe agricultor familiar plantando arroz mas a tendencia é acabar pela baixa rentabilidade. O custo de produçao é altissimo e o preço baixo. Te digo de cadeira sou produtor a 30 anos e conheço a lavoura de arroz no RS. Voce esta muito enganado. Te informa no IRGA INSTITU RIOGRANDENSE DO ARROZ.

        • Ricardo

          Itamar todos os setores são importantes Agricultura familiar e grandes agricultores. Lamento, mas tua informação é muito equivocada e errada. A agricultura familiar não responde por 10% da produção no Brasil. Não entendo porque o desmerecimento da grande e ou pequena agricultura. Assim como as grandes agroindústrias e pequenas são importantes no processamento de alimentos.

        • Fernando

          Puta merda , vai ser burro assim lá longe, soja é o que sua mula, é o óleo que frita a porra da sua carne, é a proteína que trata a vaca da sua mãe que deve tira leite das tetas dela até hoje pra fazer seu chocolatinho, soja é a proteína que alimenta o toro do seu pai que deve tirar um bife da perna pra te dar na hora do almoço, o papel que vc limpa o cú vem das árvores das matas dos índios que vcs tanto gosta de falar, a sua roupa também é feita da pena da galinha da sua mãe que precisa de comer milho pra se manter viva e te vestir, o algodão pra fazer sua roupa é retirado manualmente dos cotonetes que vendem na farmácia para fazer um agasalho para te esquentar no friu,e já que vc defende Indio manda sua irmãzinha de 9 a 10 anos passar um temporada na aldeia dos índios aqui no Mato Grosso que vc vai ver o tamanho do arrombo que ela vai voltar, por que lá na aldeia o primeiro que passa a vara e cacique que vc ama tanto, seu troxa.

          • Fernando Silva Tamvampong

            Bom, com a quantidade de agrotóxico utilizada eh melhor comer a própria batata da perna mesmo…

        • Leandro

          Kkkkkkk melhor piada do dia

      • Patricia

        É mesmo Felipe,ele nao a come,alias tudo que ele come com certeza,se reproduz na prateleira do supermercado,o pao tem uma arvorezinha que produz dentro da padaria e assim por adiante. Ignorância..! o agricultor tinha que parar de produzir,para que essas pessoas que tem esse pensamento passassem fome!

      • Patricia

        É mesmo Felipe,ele nao a come,alias tudo que ele come com certeza,se reproduz na prateleira do supermercado,o pao tem uma arvorezinha que produz dentro da padaria e assim por adiante. Ignorância..! o agricultor tinha que parar de produzir,para que essas pessoas que tem esse pensamento passassem fome!

    • Ricardo

      Essa escola deveria tomar um pouco mais de conhecimento e ser mais inteligente em seu posicionamento. Não é necessário criminalizar uma cultura para defender outra. Os índios são atualmente os maiores latifundiários improdutivos do Brasil. Ficam exigindo mais terra para arrendar a grandes latifundiários.

      • Ednilson de Lima

        Índios como maiores latifundiários improdutivos do Brasil? Você não está confundindo as coisas, hein? Já parou pra pensar que a cultura indígena não está inserida nessa lógica de produção, consumo e acúmulo? Você afirma de tal forma sua posição que parece que todos os indígenas arrendam suas terras para os grandes latifundiários!

      • Valter Leite

        Nos últimos anos, o consumo de agrotóxicos teve um aumento sem precedentes, em 2009 o Brasil ocupou o primeiro lugar no ranking mundial de consumo de agrotóxicos. O que representa uma média, de consumo por cada brasileiro de 7,3 litros de agrotóxicos (veneno) por ano, segundo dados da Campanha Permanente Contra o Uso de Agrotóxicos e pela Vida (2016). Na região Oeste do Paraná, este índice sobe para 12 litros ao ano, por habitante (GT agrotóxicos/ 10ª regional de saúde)

  • Milena Carvalho

    Quem destrói fauna e flora no país somos nós mesmos! Poluindo cada dia mais, depois que olharmos para nossos próprios erros vamos recuperar a natureza! Hoje maioria dos agricultores não usam produtos que prejudicam o meio ambiente, pois é proibido!

  • Marco Aurélio

    Chegará um momento em que a população se “curvará ” para nós produtores de alimentos.Escola de Samba produz o que?
    Felicidade só será completa se estivermos de barriga cheia.

  • aldo

    a letra não tem bulhufas a ver com o agronegócio, é sobre Belo Monte… meu senhor amado

  • Lais

    Reclamam, mas não sabem o quanto a gente estuda anos para aliar produção com sustentabilidade. Querem agricultura orgânica, mas quando o preço do arroz, do trigo, do feijão e do milho sobe, fazem o que?

    • Angélica Stabile

      Exato, Lais!!!!

  • ALEX

    Enquanto discutem que o agro é vilão por muitos ambientalistas nós estamos produzindo vida levando alimento para o nosso país e o mundo, gerando emprego e renda, o Brasil tem uma legislação ambiental altamente rígida e eficaz e nós do agro somos comprometidos com isso, mas, produzir sem o mínimo de agroquímicos em produção de escala é impossível por enquanto.
    O sonho de todo produtor é não utilizar agrotóxico e produtos veterinários em suas produções produção com um custo menor.
    Acho que deveríamos criticar também vários países do primeiro mundo que fabricam armas nucleares, indústrias altamente poluentes quando não mandam seus LIXOS (RESÍDUOS) QUÍMICOS para o nosso país como já aconteceu cadê os ambientalistas não vi quase nem um movimento, cidades poluindo o tempo inteiro ou os próprios em seus automóveis, não sou contra e acredito que tem que haver produção e respeito ao meio ambiente, mas as vezes exageram. Quando faltou chuva em São Paulo alguns anos atrás disseram que a culpa era nossa aqui da região norte que tínhamos desmatado mais e tralalá, alguns meses depois houve enchentes muita chuva e ninguém falou mais nada será que já tínhamos reposto as matas?
    mais coerência é isso que falta no BRASIL O PAÍS DA INVERSÃO DE VALORES. MEU PAÍS QUE AMO, MAS É ASSIM.

  • venancio silva

    Fico imaginando, que o agronegocio brasileiro representa 1/3 da balança comercial, consequentemente, o PIB brasileiro tbm é representado em virtude disso. Dizer que a agricultura, setor representativo nas exportaçoes de soja, milho e outros produtos para paises de primeiro mundo como Japao, Canadá, Estados Unidos e varios outros paises, seje exposto dessa forma por uma escola de samba ! Será que nao percebem o reflexo que isso ira ocasionar nas exportaçoes futuras ? Sabendo que a safra 2016/2017 esta previsto record em produtividade, será que essa produçao terá aceitaçao pelos paises exportadores dos produtos brasileiros ? Certamente que Sao Paulo e Rio de Janeiro não sao representativo na producao de produtos com soja e milho e consequentemente nao irá refletir na economia local, mas e os estados brasileiros que vivem em funçao do agronegocio, como por exemplo, o caso de Mato Grosso ? Acredito que esse tema desta escola, terá repercussao internacional e ocasionará fatores negativo na economia brasileira. Cade o MPF (Ministério Publico Federal) para coibir esse atentado contra a economia brasileira ? Garanto que se o enredo desta escola fosse sobre a classe politica, tendo como enredo a corrupçao e, com alas de todos os envolvidos na lava-jato, certamente que essa escola perderia o ano por falta de tempo para preparar novo tema, pois o senado brasileiro nao autorizaria ! Garanto ainda que se o enredo fosse dos policiais que vitimam inocentes, ou se fosse contra facçoes que impoe o terror nos grandes centros (prefiro nem dar nomes), se a escola teria coragem para seguir adiante nos seus propositos ! Claro que nao né. Entao Ministerio Publico Federal, faça seu papel de defender a democracia e em especial a economia brasileira. Pois se ja somos 12 milhoes de desempregados, acredite….chegaremos a 15 milhoes facil facil…tem toda uma cadeia produtiva neste sistema (Maquinas Agrìcolas, Implementos, Insumos, Sementes, petroleo e principalmentes, pessoas que dependem do agronegocio. Esse é um tema que não se pode generalizar dessa forma que estao propondo. As instituiçoes brasileira de controle e fiscalizaçoes do agronegocio, estão ai fazendo seus trabalhos, e diga se de passagem, trabalho de excelencia aqui no estado de Mato Grosso. Os orgãos INDEA, SEMA ESTADUAL, SEMMA MUNICIPAL, POLICIA MILITAR AMBIENTAL, ANVISA,JUVAM, etc…, todos estão voltados para o controle e autorizaçao sobre os agrotoxicos, desmatamento, e impactos ambientais causados pela pratica da agricultura e pecuaria. Claro que por ser um estado grande, e com poucos profissionais, as vezes ocorre incidentes, mas que sao autuados pelos orgãos posteriormente ao conhecimento. Porque não falamos de Mariana ? Que devastou Minas Gerais e outros Estados como Espirito Santo . Porque nao falamos da PEC que congela investimentos na Saúde, Educaçao ? Ou podemos tbm mencionar a reforma do Ensino Fundamental….certamente que isso nao interferiria na economia brasileira com a magnitude que expor o agronegocio brasileiro.
    Isso é só meu ponto de vista pessoal ! Nao querendo causar debates ou discussao. Nao perca seu tempo em questionar, exponha sua opiniao no comentário individual.

    • Maria Ignez Pura

      Sim, é de cair o dólar… kkkkkk

      • Filipe

        Ha tia vai caduca em outra área, vai tricotar seu cachecol com linhas de algodão, ha esqueci a senhora não deve utilizar produtos de origem agrícola, enquanto a senhora tricota evita de estar comentando algo do que a senhora não entende ou esqueceu que entendia, vai procura uma jeito de salvar a sua alma porque o que vier daqui pra frente pra senhora é lucro.
        Vá em direção a luz e não olha pra traz!

  • Marcio

    Já fui admirador de escola de samba , mas com esta agora , para min são todas um lixo , da mesma forma como os admiradores de samba olham com olhos grandes noso setor , por bla bla nos dias de desfile vão beber cerveja até cair , a Cerveja e produzida de milho ou de arroz que são produtos agrícolas, vão se alimentar 10 vezes por dia , e tudo o que vão comer lá vem da agricultura, portanto éses ipocritas vão cuspir no prato e comer.

  • frymartini

    O tema é o Xingu! Nada a ver!

    A letra completa:

    BRILHOU… A COROA NA LUZ DO LUAR!

    NOS TRONCOS A ETERNIDADE… A REZA E A MAGIA DO PAJÉ!

    NA ALDEIA COM FLAUTAS E MARACÁS

    KUARUP É FESTA, LOUVOR EM RITUAIS

    NA FLORESTA… HARMONIA, A VIDA A BROTAR

    SINFONIA DE CORES E CANTOS NO AR

    O PARAÍSO FEZ AQUI O SEU LUGAR

    JARDIM SAGRADO O CARAÍBA DESCOBRIU

    SANGRA O CORAÇÃO DO MEU BRASIL

    O BELO MONSTRO ROUBA AS TERRAS DOS SEUS FILHOS

    DEVORA AS MATAS E SECA OS RIOS

    TANTA RIQUEZA QUE A COBIÇA DESTRUIU

    SOU O FILHO ESQUECIDO DO MUNDO

    MINHA COR É VERMELHA DE DOR

    O MEU CANTO É BRAVO E FORTE

    MAS É HINO DE PAZ E AMOR

    SOU GUERREIRO IMORTAL DERRADEIRO

    DESTE CHÃO O SENHOR VERDADEIRO

    SEMENTE EU SOU A PRIMEIRA

    DA PURA ALMA BRASILEIRA

    JAMAIS SE CURVAR, LUTAR E APRENDER

    ESCUTA MENINO, RAONI ENSINOU

    LIBERDADE É O NOSSO DESTINO

    MEMÓRIA SAGRADA, RAZÃO DE VIVER

    ANDAR ONDE NINGUÉM ANDOU

    CHEGAR AONDE NINGUÉM CHEGOU

    LEMBRAR A CORAGEM E O AMOR DOS IRMÃOS

    E OUTROS HERÓIS GUARDIÕES

    AVENTURAS DE FÉ E PAIXÃO

    O SONHO DE INTEGRAR UMA NAÇÃO

    KARARAÔ… KARARAÔ… O ÍNDIO LUTA PELA SUA TERRA

    DA IMPERATRIZ VEM O SEU GRITO DE GUERRA!

    SALVE O VERDE DO XINGU… A ESPERANÇA

    A SEMENTE DO AMANHÃ… HERANÇA

    O CLAMOR DA NATUREZA

    A NOSSA VOZ VAI ECOAR… PRESERVAR!

  • Cláudio Santos

    Parabéns pela escolha da escola de samba Imperatriz Leopoldinense. Acredito que a crítica deve atingir a quem ela é endereçada. Creio sim que há muitos produtores rurais que estão preservando a natureza e cuidando do meio-ambiente, mas existem grandes latifundiários, pecuaristas que estão desmatando a Amazônia e outros biomas, então, acho que ao invés de criticar é necessário juntar forças para impedir que mais áreas sejam desmatadas, rios sejam poluídos e vivamos em paz com a mãe natureza.

    • Filipe

      Parabéns para você também, mais um trouxa comentando assunto que não entende. PALMAS PRA VOCÊ!!!

  • Vinicius de Melo

    pessoas com esse tipo de opinião sobre o agronegócio são pessoas leigas,totalmente ignorantes sobre esse assunto, que nunca viram um trabalho completo sendo realizado no campo, apenas “acham” e saem falando, sem nenhum tipo de conhecimento de como é a vida no campo, não sabem como e difícil cultivar a terra principalmente sem o uso de agrotóxicos, nunca nem viram uma enxada quem dera usaram.

  • frymartini
  • Lauren

    Ocupa a posição de maior país exportador de alimentos e ao mesmo tempo a posição de país que mais utiliza agrotóxicos, infelizmente as pessoas não percebem o que pesa mais ao fazer uma reportagem dessa.

    • Filipe

      Nada pesa mais, acontece que você e a maioria dos bobos e desinformados não buscam seguir o caminho completo só buscam o que lhes convém. Se o Brasil é o maior exportador de alimentos obrigatoriamente ele tem que ser o maior produtor, se ele é o maior produtor automaticamente é necessário a utilização de mais agrotóxico que os outros países. Aproveita que você esta tendo tempo de ficar colocando comentários em assuntos que não se dizem respeito ao seu ramo procure pesquisar e se informar melhor.

      • Odair Kunzler

        Não sei se o pior é ser um bobo “desinformado”, ou alguém que se vende à indústria que mais mata no país apenas porque ganha dinheiro com isso.
        Se o teu problema é informação, leia o que afirmam os médicos. E quando você tiver seu próprio câncer, faça terapia com um agrônomo, que são o suprassumo da inteligência nacional.

        http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37041324

      • Odair Kunzler

        Não sei se o pior é ser um bobo “desinformado”, ou alguém que se vende à indústria que mais mata no país apenas porque ganha dinheiro com isso.
        Se o teu problema é informação, leia o que afirmam os médicos. E quando você tiver seu próprio câncer, faça terapia com um agrônomo, que são o suprassumo da inteligência nacional.

        http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37041324

  • Leandro

    Creio que o “Belo monstro” que a letra se refere seja a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, construída na bacia do Rio Xingu, no Pará, uma vez que o tema deles é “XINGU – O CLAMOR QUE VEM DA FLORESTA”. que inundou área de floresta onde habitavam índios Xingú. Sendo assim, não se trata de uma referência, no trecho, ao Agronegócio.

  • Diego M. Blum da Silva

    Retrógrado é aplicar técnicas europeias de cultivo em solos tropicais. Conhecem o trabalho de Ana Maria Primavesi? Que tal uma discussão educada com argumentos fundamentados para cada situação e contexto? Convicções são cárceres. Temos que nos aprofundar muito nas questões para buscar as soluções. Empatia será importante também pois estamos todos no mesmo barco e os índios chegaram primeiro.

    • Filipe

      Amigo tente cultivar um pé de couve na varanda do seu apartamento sem utilizar nenhum químico e não matar nenhum inseto, e depois me manda um email falando se você conseguiu comer alguma folha. Converse com os insetos e peça a eles uma harmonia buscando um equilibrio como dizia essa autora que você citou no seu comentario.
      Segue o email: lfilipe047@hotmail.com
      Aguardo seu email

  • Guilherme B

    PARABÉNS A ESCOLA DE SAMBA
    Pau no cu do agronegócio, Pau no cu da monocultura, Pau no cu do latifúndio. Enfiem seus insumos importados no reto e devolvam a terra para quem é de direito !

  • António Germano

    Canalhas, canalhas, canalhas… não posso dizer o que penso desses caras por respeito aos meus amigos! O agronegócio é o setor da economia que sustenta o PIB do Brasil e gera empregos diretos e indiretos mesmo em uma crise como essa em que o país se encontra em que todos os outros setores estão promovendo demissões e todos os dias. Enquanto o Brasil encolhe o agronegócio tem previsão de crescimento de 2% para 2017 e vai responder pela metade do crescimento do PIB, o que deveria ser motivo de orgulho é criticado por um bando de apedeutas comunistas!

  • Odair Kunzler

    Acho que faltou um pouco de conhecimento em análise do discurso à jornalista antes de escrever essa matéria. Talvez se conhecesse algumas teorias de Foucault ou de Orlandi, não teria escrito um texto tão bizarro e demagogo. De fato o enredo do samba dessa agremiação não deve representá-la, pois ela não o compreendeu. E ignorância à parte, cumprimentos ao Itamar Maschio pelo seu sábio comentário: “Quem produz alimentos é a agricultura familiar. Agronegócio produz soja para exportar”.

  • Sabrina Zuchelli

    E a produção desenfreada de lixo nas grandes cidades? Isso sim é um câncer nesse país…o agronegócio por outro lado é quem salva nossa economia…o Brasil é exemplo de preservação ambiental…vão ver se outros países preservam como ocorre aqui…vamos abrir os olhos povo!!!

  • Sabrina Zuchelli

    E a produção desenfreada de lixo nas grandes cidades? Isso sim é um câncer nesse país…o agronegócio por outro lado é quem salva nossa economia…o Brasil é exemplo de preservação ambiental…vão ver se outros países preservam como ocorre aqui…vamos abrir os olhos povo!!!

  • Esses retardados mentais deveriam comer só mato das bordas das estradas. Ou – alternativamente – se quiserem vir dar uma força, tenho mais de 2.000 m2 de inço para ser “trimado”. Em uma tarde pastando eles dão conta, certamente. #Otários

  • Esses retardados mentais deveriam comer só mato das bordas das estradas. Ou – alternativamente – se quiserem vir dar uma força, tenho mais de 2.000 m2 de inço para ser “trimado”. Em uma tarde pastando eles dão conta, certamente. #Otários

  • Alessandra

    Admiro o CARNAVAL brasileiro, mas confesso que por essa eu não esperava! A Escola de samba Imperatriz Leopoldinense tecerá em seu samba-enredo/2017 despautérios acerca da agricultura brasileira! É com profunda tristeza que li fragmentos de seu samba! Como pode ser tão inteligível e insensível assim? Jamais deveria ter ousado generalizar um setor que tanto sofre pra se manter firme e forte frente às todas as dificuldades e preconceitos que enfrenta! Cheguei a pensar que alguns sobrevivem de paetês e lantejoulas (Ei, por falar nisso lembrou de criticar aqueles que extraem Petróleo? Afinal, tais coisas são de plástico, que por sua vez tem como principal matéria prima o Petróleo – fonte não renovável né! Opa, foi esquecido, o alvo não era esse, não atrairia a mídia sensacionalista! E mais, do que se alimentam aqueles que desfilam pela escola, seria do vento?! As fantasias são feitas de algodão ou são tecidas por algum aracnídeo?!) Convenhamos, se existe um dos setores desse país que mais se preocupa com o conservacionismo é o agronegócio, afinal da terra dependemos e não podemos deixá-la em desequilíbrio ambiental! Não sejamos inteligíveis “alimentos não nascem em prateleiras e leite não dá em caixa”, enquanto você dorme ou está em férias há agricultores Brasil a fora produzindo o alimento que você “encontra” tão facilmente no supermercado, seja com chuva ou com sol, eles estão lá destemidos no labor! Não ouse criticar uma profissão se dela não conhece! A agricultura brasileira é uma das mais belas profissões, é um setor em constante expansão, o qual vem segurando a economia desse país por anos e não serão pensamentos infundados como esses que irão derruba-la! Sou agricultora sim, produzo alimento e ei de defender meu “jeito rural de ser” esteja onde estiver, vim do campo, sou do campo e por ele luto!

  • Alessandra

    Admiro o CARNAVAL brasileiro, mas confesso que por essa eu não esperava! A Escola de samba Imperatriz Leopoldinense tecerá em seu samba-enredo/2017 despautérios acerca da agricultura brasileira! É com profunda tristeza que li fragmentos de seu samba! Como pode ser tão inteligível e insensível assim? Jamais deveria ter ousado generalizar um setor que tanto sofre pra se manter firme e forte frente às todas as dificuldades e preconceitos que enfrenta! Cheguei a pensar que alguns sobrevivem de paetês e lantejoulas (Ei, por falar nisso lembrou de criticar aqueles que extraem Petróleo? Afinal, tais coisas são de plástico, que por sua vez tem como principal matéria prima o Petróleo – fonte não renovável né! Opa, foi esquecido, o alvo não era esse, não atrairia a mídia sensacionalista! E mais, do que se alimentam aqueles que desfilam pela escola, seria do vento?! As fantasias são feitas de algodão ou são tecidas por algum aracnídeo?!) Convenhamos, se existe um dos setores desse país que mais se preocupa com o conservacionismo é o agronegócio, afinal da terra dependemos e não podemos deixá-la em desequilíbrio ambiental! Não sejamos inteligíveis “alimentos não nascem em prateleiras e leite não dá em caixa”, enquanto você dorme ou está em férias há agricultores Brasil a fora produzindo o alimento que você “encontra” tão facilmente no supermercado, seja com chuva ou com sol, eles estão lá destemidos no labor! Não ouse criticar uma profissão se dela não conhece! A agricultura brasileira é uma das mais belas profissões, é um setor em constante expansão, o qual vem segurando a economia desse país por anos e não serão pensamentos infundados como esses que irão derruba-la! Sou agricultora sim, produzo alimento e ei de defender meu “jeito rural de ser” esteja onde estiver, vim do campo, sou do campo e por ele luto!

  • Na certa você não leu a sinopse da escola!!! Isso tudo é pro blog ganhar alguns cliques, é?

  • Na certa você não leu a sinopse da escola!!! Isso tudo é pro blog ganhar alguns cliques, é?

  • Luiz Carlos Abreu

    Galerinha quer criticar sem consultar ao menos, a sinopse do enredo sobre o XINGU. Tem poucas críticas pontuais sobre os AGROTÓXICOS e não sobre a agricultura, ele é mais endereçado a construção de Belo Monte e a remoção de Indios de seus lugares de direito apenas para servir a ambição do homem branco. O enredo é lindo, o samba é lindo, e vc pode ter certeza que a Imperatriz vai fazer um belo desfile com sua mensagem de preservação.

    • Pereita análise. Mas tem gente que publica qualquer coisa só pra ganhar cliques!!!

  • Luiz Carlos Abreu

    Galerinha quer criticar sem consultar ao menos, a sinopse do enredo sobre o XINGU. Tem poucas críticas pontuais sobre os AGROTÓXICOS e não sobre a agricultura, ele é mais endereçado a construção de Belo Monte e a remoção de Indios de seus lugares de direito apenas para servir a ambição do homem branco. O enredo é lindo, o samba é lindo, e vc pode ter certeza que a Imperatriz vai fazer um belo desfile com sua mensagem de preservação.

  • Alvaro

    O grande e maior problema do nosso país é a cultura que está sendo introduzida à décadas por pessoas que se auto-denominam “sábios pensadores”, cultura essa que é baseada na ideologia marxista. O brasileiro há muito tempo vem sendo persuadido de maneira lenta e gradual a acreditar nas mentiras ideológicas contadas por gente de mal caráter que quer ver a destruição dos valores judaico-cristãos da cultura ocidental, que vivem suas vidas baseado pura e simplesmente no combate ao progresso e enriquecimento da população, que querem ver todos na igualdade que só a pobreza pode trazer, que têm inveja das conquistas e riquezas alheias, do avanço que o agronegócio pode trazer e já trouxe, mesmo sendo tão criticado e combatido pelos militantes, para esta nação. É por isso que eu não julgo nem condeno esse pessoal que aqui comenta contra o agronegócio, na verdade sinto pena de pessoas que são usadas pura e simplesmente como massa de manobra, pessoas que estão sendo enganadas com esse papo de vitimismo, de politicamente correto, e tantas outras choradeiras da esquerda caviar brasileira que não está nem aí para o povo pobre. Enquanto isso o agronegócio brasileiro diminuiu o preço dos alimentos para a população mais pobre em 40% entre os anos de 1994 e 2005. Isso sim é distribuição de renda, o resto é enganação. Todo esse “mimimi” em relação aos defensivos agrícolas me enoja, pois todos que aqui comentam contra não sabem do que estão falando. O Brasil tem uma das legislações mais duras em relação aos defensivos químicos, existem produtos que são proibidos, existem normas para quantidade de aplicação e regras para que não seja aplicado fora da janela ideal, ou seja, poucos dias antes da colheita. Sendo assim, quando o produto é colhido o defensivo já não está na planta, ou se está é em quantidade muito pequena e inofensivo ao ser humano. Sobre o chororô de que o pequeno produtor é quem leva a comida a mesa, e não os grandes e malvadões produtores, sugiro que vocês pesquisem mais sobre o uso e aplicações da soja no Brasil por exemplo, em quantos produtos são criados com a soja, em quantos dólares entram no país graças à exportação de soja. Tudo isso gera riqueza, e essa riqueza é distribuída para a população através de empregos, dinheiro rodando no comércio, etc e etc e é isso que trás comida barata e de fácil acesso aos pobres. Eu poderia ficar horas aqui escrevendo sobre os BENEFÍCIOS que o AGRONEGÓCIO traz aos brasileiros em geral, mas resumindo: Nós agricultores matamos a fome dos brasileiros e de boa parte da população mundial, inclusive dos índios, que têm 13% do território nacional e geram 0% de riqueza, e ainda 64% dependem de bolsa-família, com toda essa terra não fazem nem para comer. Enquanto o produtor rural produz mais de 200 milhões de toneladas de alimento com apenas 8% do território nacional. Espero que vocês consigam se libertar dessa prisão em que vossos cérebros estão, para que assim possam começar a enxergar o mundo com mais bom senso, clareza, e com menos vitimismo e politicamente correto. Grande abraço a todos e viva o Brasil!!

  • Laiz

    A galera vai tomar cerveja até o c* fazer bico no carnaval, e esquecem que ela é feita de MILHOOOO, CEVADAAA!!! quanta gente desinformada. Esse povo precisa acordar as 5hr da manha, de baixo de chuva, e ir tirar leite, pra dar valor ao AGRONEGÓCIO!!

  • Laiz

    Nosso país é muito extenso, e com realidades diferentes em todas as partes. Idolatram uma etnia, enquanto em outras áreas do país existe um confronto por terras, onde não se respeita nem o índio nem os agricultores.
    Enquanto exaltam os índios do Xingu, aq no RS estão desapropriando terras produtivas de agricultores legítimos e de bem, dizendo ser indígenas, para depois venderem ou arrendarem ilegalmente. A quem isto favorece? aos indios? a FUNAI? Ou pessoas espertalhonas que usam a causa indígena para tirar proveito próprio???

  • Angélica Stabile

    DIRCEU N. GASSEN ELDORADO DO SUL – RS 05/01/2017 15:19

    A agricultura, a riqueza, o carnaval e a alegria…
    A agricultura Brasileira experimentou evolução extraordinária nos últimos 40 anos, com base na tecnologia e na eficiência do agricultor. A produção mundial de alimentos contrariou as teorias de Thomas Malthus, que em 1789, previa o colapso da população humana por falta de alimentos.
    A importância da agricultura foi destacada na hierarquia das necessidades do ser humano, por Abraham Maslow, que posicionou a alimentação e o conforto pessoal como a base da pirâmide que sustenta a auto realização das pessoas.
    Em 2017 ouvimos com tristeza, a proposta de uma escola de samba, no carnaval do Rio de Janeiro, anunciando tema relacionado com a ”demonização do agricultor” que ”explora indígenas”, ”usa agrotóxicos”…
    Estudiosos da economia demonstram que devemos ter respeito aos elementos capazes de gerar alimentos, emprego e riqueza. A agricultura no Brasil é a principal propulsora da economia, da geração de renda, de empregos e de paz (alimentos).
    O carnaval tem origem na alimentação farta, na bebida, na diversão, na alegria e nos prazeres que precedem a fase de jejum.
    Para os que apreciam a cerveja no carnaval, lembrem que a bebida tem origem na cevada, produzida por um agricultor, que cultivou a semente, manejou a planta, protegeu contra pragas e doenças e garantiu a sanidade e a qualidade do produto final.
    Um hectare de cevada, conduzido pelo agricultor, produz de 3 toneladas de grãos. Na indústria, esses grãos produzem 2.100 kg de malte, que geram 18.600 litros de cerveja.
    O que equivale a mais de 50 mil latas de 350 ml de cerveja.
    O agricultor receberá R$ 1.800,00 pelos grãos de cevada produzidos por hectare. Ele teve desembolso aproximado de 1.500 reais para produzir, sem considerar os riscos de clima, mercado, preços. Gerou R$ 300,00 de lucro.
    O consumidor pagará R$ 5.00 por lata de 350 ml de cerveja, o que equivale a R$ 250.000,00, gerado com base em R$ 1.800,00 de grãos de cevada.
    O agricultor, que produz a cevada, participará com 0,72% do valor dessa cerveja consumida no carnaval com base no preço de R$ 5,00 por lata de 350 ml.
    Não há ”almoço de graça” e todos os segmentos da economia necessitam gerar renda, ocupação digna de mão-de-obra e de autoestima.
    Devemos, no mínimo, exigir respeito de segmentos da sociedade que consomem alimentos todos os dias, que se beneficiam da geração de riqueza impulsionada pelo agricultor.

  • José Casimiro Jr.

    PAULISTAS E CARIOCAS FAVOR NÃO REPRODUZIREM. E QUE COMEÇE O MIMIMI. FAVOR VIVEREM DAS COMIDAS QUE BROTAM NAS PRATELEIRAS DO MERCADO DE VCS KKKKK.

  • Marta Caputo

    O “ogronegócio”, mais do que nunca, é o vilão da história. Junto às mineradoras, devastaram e devastam biomas importantes. O Cerrado, por exemplo, já pode ser declarado como extinto e a crise hídrica no sul e sudeste é só a face mais visível do crime.
    Retrógradas são as técnicas e métodos empregados pela pecuária e pela agricultura, visando apenas lucro.
    Uma jornalista que desconhece o emprego criminoso de agrotóxicos no país – muitos deles já proibidos no mundo todo, mas liberados aqui e o índice alarmante de doenças que provocam, como o câncer, não merece o mínimo respeito.
    Desconhecer também os casos estratosféricos de corrupção envolvendo a friboi, o Bumlai e o BNDES só me levam a crêr que esse blog não pode ser sério.

  • Ricardo

    queria saber onde é que tá o título de compra da terra..

    pq tipo assim..a terra no Brasil é TODA dos índios..

    matar e tomar a força não dá direito a propriedade..

    e vir com esse papinho de que a gente so come por causa do agronegócio é uma palhaçada..

    os bois americanos comem por causa do agronegócio….Latifúndio e Monocultura são um câncer..

    sinto muito dizer..mas estaríamos muito melhor sem vocês..

    tomara que a Imperatriz ganhe de lavada

  • Ednilson de Lima

    Numa análise sempre existem três lados: o meu, o seu e o que realmente é! Em seu texto você mostra o seu lado, óbvio, e é tão óbvio porque não existem referências comprovando os argumentos que você apresenta. Parece logo o seu ponto de vista mesmo. O meu lado é em defesa da escola de samba, justamente porque ela tem total direito de apresentar o tema que lhe interessar, e neste caso trata-se da realidade de indígenas do Xingu. Não considerar isso é fazer pouco caso e negar toda uma história de luta e resistência do povo indígena do Brasil. E não permitir este tipo de discurso é censurar quem tem ponto de vista diferente daqueles em defesa de interesses puramente econômicos. Como já foi dito logo abaixo nos comentários, o agronegócio já foi exaltado no carnaval carioca, e de forma bem longe da realidade, convenhamos! E se desde a década de 80 as escolas de samba já criticavam a atuação do agronegócio no pais é sinal de que nada mudou. Mas a intenção da minha fala aqui neste canal é outra: quero mostrar que há certas verdades em seu texto que não foram abordadas, assim como alguns equívocos que parecem ser retirados de chavões propalados em textos de blogs, telejornais ou redes sociais.
    Bom, começamos pelo seguinte: quando se diz que “o ultrapassado discurso do agronegócio vilão volta para as rodas de conversa” logo se nota que não é tão ultrapassado, pois se está de volta é porque ainda não morreu e alguma coisa ainda existe! Considerar este discurso como ultrapassado é tentar amenizar toda a ação negativa deste setor sobre a sociedade indígena do Brasil. Ainda no mesmo parágrafo, na parte em que você diz “…essa ideia caluniosa não me representa e tampouco representa o que de fato é a agricultura, a agropecuária, o agronegócio brasileiro…” quando se trata do uso de agrotóxicos pelo agronegócio, mencionado no enredo do desfile de carnaval da Imperatriz Leopoldinense, eu afirmo que não se trata de uma ideia caluniosa, pois análises sempre foram realizadas nos alimentos e constatados altos índices de agrotóxicos. Para você ter chegado a está conclusão, de ideia caluniosa, possivelmente você tomou como base o PARA (Programa de Avaliação de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos) realizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (segue link: http://dados.contraosagrotoxicos.org/dataset/para-programa-de-analise-de-residuos-de-agrotoxicos-em-alimentos/resource/4a832b81-7dbe-4b56-8e2d-914ce6bf585e). Segundo o Greenpeace, trata-se de testes muitos suspeitos, pois “há vários problemas no PARA, segundo nota da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, começando pela diminuição do número total de agrotóxicos testados. De acordo com dados do Ibama, 56% do consumo de agrotóxicos no Brasil se concentra em duas substâncias: glifosato e 2,4-D. Nenhuma das duas foi testada no relatório”. Por que a ausência destas duas substâncias neste relatório? Influência externa de certos setores interessados em mascarar os resultados? As hipóteses são várias neste momento, necessitando um aprofundamento no tema. Continuando a análise do seu texto, está claro que estas ideias propostas no samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense não lhe representa e muito menos o setor ao qual você defende, pois estas batem de frente com os seus interesses econômicos e até políticos.
    Prosseguindo para o seu próximo parágrafo, onde você começa dizendo que “…fica clara a construção do argumento ‘fazendeiro-destruição x índio-salvação’ da floresta, das matas, dos rios, do Brasil. […] o belo monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios, tanta riqueza que a cobiça destruiu…” afirmo que a intenção do carnavalesco é realmente mostrar este antagonismo que existe entre fazendeiros e índios, onde o primeiro, representado pelos grandes latifundiários (alvo da crítica), sempre foi responsável por desmatamentos, poluição, violência e cobiça, principalmente na região central e norte do país, pois nas outras regiões já não existem tantas terras para ampliar a atuação do agronegócio ou índios para atrapalhar seus interesses. Não debater este tema, histórico por sinal, é negar todas estas transformações ocorridas desde que o homem branco pisou em terras indígenas. Os interesses por traz desta negação são inúmeros como, por exemplo, melhorar a imagem do agronegócio na opinião pública, e assim sair dos holofotes da crítica e continuar com suas atividades da forma como vem fazendo há décadas.
    Quando você afirma que “…essa lógica que se pretende apresentar para o mundo inteiro no Carnaval do Rio mostra o quanto muitos brasileiros ainda ignoram o que é o grande talento do país, o agronegócio”, na verdade, não podemos falar que o agronegócio é o grande talento do país quando este serve para aumentar a concentração de riquezas nas mãos de poucos e remunerando muitos com pouco. Só como exemplo, “no Censo Agropecuário 2006, foram identificados 4 367 902 estabelecimentos da agricultura familiar. Este numeroso contingente de agricultores familiares ocupava uma área de 80,25 milhões de hectares, ou seja, 24,3% da área ocupada pelos estabelecimentos agropecuários brasileiros. Percebe como estes resultados mostram uma estrutura agrária ainda concentrada no País? Ora, se os estabelecimentos NÃO familiares, apesar de representarem 15,6% do total dos estabelecimentos, ocupavam 75,7% da área ocupada, então a área média dos estabelecimentos de agricultores familiares era de 18,37 hectares, e a dos não familiares, de 309,18 hectares.
    Os agricultores familiares, de acordo com o Censo 2006, levantado pelo IBGE, são responsáveis pela produção de: 87% da mandioca; 70% do feijão; 46% de milho; 38% de café; 34% de arroz; 58% de leite; 59% de suínos; 50% de aves; 30% de bovinos; 21% de trigo e 16% de soja. Para um grupo de agricultores que ocupam uma parcela pequena de terra, comparado aos grandes produtores rurais, até que possuem uma expressiva produção de alimentos, não é? Essa produção é responsável por gerar renda para mais de 12 milhões de brasileiros!
    Também é um grande equívoco bradar que o agronegócio é quem alimenta a população, pois na verdade ele alimenta a agroindústria e a exportação. O dinheiro destas atividades, percebido no PIB, não tem sua distribuição justa, contribuindo, com maior intensidade desde 1970, para o agravamento da concentração de renda no país. Esta minha afirmação é muito bem comprovada por estudos conferidos por Piketty, Saez e Medeiros, que revelam um Brasil dentro do mapa da desigualdade. Dos vários trabalhos recentes sobre desigualdade brasileira, merece citação o realizado por Marc Morgan Milá, supervisionado pelo próprio Thomas Piketty. O trabalho de Milá analisou um período de 1933 a 2013 e concluiu que o 1% mais rico do país detém hoje 27% de toda a renda, tendo havido uma concentração média de 25% da renda nas mãos desse 1% desde o meio da década de 70. Isso significa que, nos últimos 40 anos apenas 1/100 das pessoas dispõe de 1/4 de toda a renda. (Segue link do trabalho de Milá: http://piketty.pse.ens.fr/files/MorganMila2015.pdf).
    Então este argumento de salvação da pátria não justifica a defesa exacerbada que você tanto faz. Você, como grande entendedora do universo rural, deveria saber que a grande salvação do Brasil se encontra na agricultura familiar, esta sim, segundo o IBGE, é responsável por garantir a segurança alimentar do país, sendo importante fornecedora de alimentos para o mercado interno, ou seja, é o setor que mais contribui para a alimentação dos brasileiros. Se não acredita, acesse este link: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/50/agro_2006_agricultura_familiar.pdf, e perceberá que foi feita uma pesquisa, difícil de ser fraudada, para se chegar a esta conclusão.
    Você ainda lança o seguinte questionamento: “se essa ideia do ‘fazendeiro e seus agrotóxicos’ fosse verdadeira, será que o Brasil ocuparia mesmo a posição de um dos maiores exportadores de alimentos do mundo?” Se é assim, por que cada vez mais pessoas, principalmente aquelas pertencentes às altas classes, consomem cada vez mais alimentos da produção orgânica? Se a exportação é cada vez maior e mais garantida é porque isso não se deve ao uso de pesticidas e fertilizantes, que garantem a máxima colheita? Você está certa quando a “…questão ambiental e social preocupa cada vez mais”, mas quando afirmado por você que “…é sabido que nós, consumidores, estamos exigentes, queremos saber a origem, como é feito” e que por isso mesmo o agronegócio que destrói não teria espaço nos dias de hoje, como questionado por você. É bom saber que esta última questão levantada, sobre desmatamento, agressão às culturas etc., não são nem um pouco propaladas, e quando são, logo são esquecidas. Um bom exemplo de que informações relevantes como estas tendem a ser cada vez menos apresentadas é percebido na coluna de notícias da empresa britânica BBC, sobre a manchete “Por que Brasil parou de divulgar ‘lista suja’ de trabalho escravo tida como modelo no mundo?” (Segue o link da notícia: http://www.bbc.com/portuguese/brasil-38386804?ocid=socialflow_facebook) deixando claro que há um interesse bem grande por trás desta decisão, que só favorece pessoas ligadas ao grande empresariado e aos grandes proprietários de terra. Um outro motivo que sua questão levantada não considera é em relação à grande massa populacional, principalmente aqueles que formam a base da pirâmide social, não querer nem perder tempo procurando origem ou forma de cultivo. O que importa é preço baixo para garantir o máximo de alimento na mesa durante o mês. Quem se preocupa com isso são os ricos, que procuram cada vez mais produtos orgânicos.
    Quando você cita a fala de um jornalista, alegando que não se deve generalizar tal condição, você consegue ser bem feliz nesta citação, pois com certeza não devemos generalizar, mas tratando da atuação do agronegócio na região do Xingu, a exceção é justamente o agronegócio herói. Se o agronegócio é bom para o gaúcho, não significa que seja bom para os indígenas do Xingu, e quem deve decidir isso são os próprios indígenas, pois este modelo produtivista, acumulativo e capitalista não faz sentido para um povo de cultura distinta a nossa. É justamente esta atuação que o agronegócio exerce na região do Xingu que está sendo abordada pela Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense. A generalização é você quem está dando.

  • Valter Leite

    Belo samba enredo, rico em relevância social…afinal o agronegócio é responsável por centenas de morte no campo, somente nos últimas dez anos, no período de 2006 a 2015, foram 340 assassinatos no campo…fora os casos de intoxicação com uso de agrotóxicos… 37 assassinatos desde 2015. http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/09/21/com-37-mortes-desde-2015-rondonia-vive-guerra-sangrenta-por-terras.htm

  • Valter Leite

    Entre os anos de 2007 e 2014 foram registradas 34.147 notificações de intoxicação por agrotóxicos (ABRASCO, 2015), sendo que no período de 2001 a 2010, os agrotóxicos e as intoxicações foram responsáveis por 6.616 mortes no Brasil.

  • Valter Leite
  • Valter Leite

    1- 37 assassinatos desde 2015. http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/09/21/com-37-mortes-desde-2015-rondonia-vive-guerra-sangrenta-por-terras.htm

    2- 25 assassinatos desde 2015. http://smdh.org.br/wp-content/uploads/2016/10/Assassinatos-de-Defensores-2015-2016-monitoramento-SMDH.pdf

    3- 645 assassinatos de 1985 a 2013. http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2015-02/para-concentra-38-dos-assassinatos-por-conflito-de-terra-no-pais

    4- https://www.youtube.com/watch?v=slfJXEjQRA4

    5- http://www.cptnacional.org.br/index.php/component/jdownloads/send/41-conflitos-no-campo-brasil-publicacao/14019-conflitos-no-campo-brasil-2015?option=com_jdownloads ehttp://www.cimi.org.br/pub/relatorio2015/relatoriodados2015.pdf

    6- file:///C:/Users/Usu%C3%A1rio/Downloads/Larissa_Mies_Bombardi_artigo_agrot%C3%B3xicos-1.pdf

    7- http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio/materias/REPORTAGEM-ESPECIAL/476877-BRASIL-E-O-MAIOR-CONSUMIDOR-MUNDIAL-DE-AGROTOXICOS-BLOCO-1.html

    8- http://brasil.elpais.com/brasil/2015/04/29/politica/1430321822_851653.html

    9- http://repositorio.caminhosdocuidado.org/bitstream/handle/62/2/rbso.S0303-76572007000200004.pdf ;http://www.scielo.br/pdf/csp/v21n2/27.pdf ; https://www.brasildefato.com.br/2016/10/05/estudos-relacionam-uso-de-agrotoxicos-com-suicidio-de-agricultores/

    10- http://www4.planalto.gov.br/consea/comunicacao/noticias/2016/estudos-apontam-relacao-entre-o-consumo-de-agrotoxicos-e-o-cancer ehttp://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/comunicacao/posicionamento_do_inca_sobre_os_agrotoxicos_06_abr_15.pdf

    11- http://reporterbrasil.org.br/2006/07/desmatamento-e-poluicao-seguem-o-rastro-do-agronegocio/ ehttp://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2015/09/25/fronteiras-agricolas-sao-maiores-responsaveis-por-desmatamento-diz-ibge.htm

    12- reporterbrasil.org.br/2013/09/agronegocio-brasileiro-contribui-para-o-aquecimento-global/

    13- http://www.extraclasse.org.br/edicoes/2010/08/a-destruicao-do-pampa-gaucho/

    14- http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-753X2012000200002

    15- http://brasilescola.uol.com.br/brasil/desmatamento-cerrado.htm

    16- http://www.portaldoservidor.go.gov.br/post/ver/212660/voce-sabia-que-o-rio-araguaia-pode-secar

    17- http://g1.globo.com/goias/bom-dia-go/videos/v/rio-tocantins-esta-secando-no-trecho-que-passa-por-miracema-bancos-de-areia-se-acumulam/5076400/

    18- http://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/2016/07/produtores-descumprem-acordo-para-desligar-bombas-e-rios-secam-no.html

    19- https://www.youtube.com/watch?v=hwADHPXRh9w

  • Diego Costa

    Todos querem uma fruta bonita e saborosa nas prateleiras, sem sinais de que larvas e insetos passaram por ali, mais ninguém quer o uso de defensivos agrícolas.. No Rio de Janeiro todos devem cultivar sua hortinha orgânica na sacada do seu AP ou no seu quintal para tirar seu alimento diário! Todos devem ter suas vaquinhas, galinhas e porquinhos dentro de casa para ter carne no prato! Ou aqueles que comem em restaurantes devem achar q no fundo do restaurante tem um pasto para criar gado e cultivar alimentos! Seus TOSCOS!
    Logo quem ta querendo dar lição de moral.. RIO DE JANEIRO! Deve ter sido os índios que desmataram todo o Estado do Rio e fizeram as casas e prédios que existem aí né…
    Esses merdas aí ficam gastando milhões com carnaval e difamando o próprio país em seu enredo.. por isso que essa merda de país não tem futuro!

  • Richard Diniz

    http://www.carnavalesco.com.br/noticia/apos-criticas-do-setor-do-agronegocio-brasileiro-cahe-rodrigues-defende-enredo-da-imperatriz-para-o-carnaval-2017-sobre-o-povo-xingu/31942

    Vale a leitura. E lanço aqui uma observação: DESÇAM DO SALTO! O enredo da escola NÃO É SOBRE AGRONEGÓCIOS, NEM DESTINADO A CRITICÁ-LO. Vocês não são as estrelas, nem os vilões do enredo (que retrata a luta dos indígenas DESDE A COLONIZAÇÃO DO BRASIL- muito antes sequer do desenvolvimento da agricultura pelos colonizadores).
    O texto está tendencioso, ou no mínimo pretenso ao acreditar que a letra do samba diz respeito aos agricultores rs’
    A crítica ao uso de agrotóxicos é pertinente, e a matéria toda foi redigida de modo a dar dimensões críticas e muito maiores do que ela realmente é, como se todo o enredo da escola fosse destinado a vilanizar o agronegócio brasileiro.

  • Fernando Silva Tamvampong

    O “alarmante” uso de agrotóxicos no Brasil atinge 70% dos alimentos
    Mais da metade das substâncias usadas aqui é proibida em países da UE e nos EUA.
    Não venha com papo mole: maioria do agronegócio no Brasil eh uma grande porcaria. Qualquer ranking mundial de uso de agrotóxico comprova isto. Baixem a cabeça e coloquem o rabo entre as pernas.