Contribuição dos ramos na produtividade da soja

Alvadi Antonio Balbinot Junior, pesquisador da Embrapa Soja

A produtividade de grãos de soja é definida por quatro componentes primários: número de plantas por área, número de vagens por planta, número de grãos por vagem e peso do grão. Outra forma de analisar a produtividade da oleaginosa é segmentar os três últimos componentes entre haste e ramos. As cultivares comerciais de soja, via de regra, apresentam alta capacidade de emissão de ramos quando cultivadas em baixas populações de plantas, o que confere à cultura elevada capacidade de manter a produtividade de grãos constante frente a variações relativamente amplas na população. Nesse contexto, surge a seguinte questão: qual é a contribuição dos ramos na produtividade de grãos em cultivares modernas?

A contribuição dos ramos na produtividade vai depender, fundamentalmente, de três fatores: cultivar, população de plantas e condições de ambiente (disponibilidade de água e nutrientes; qualidade física, química e biológica do solo; temperatura; luz; estresses bióticos etc…). Ou seja, a combinação entre maior capacidade genética para ramificar, menor população de plantas e adequado ambiente de produção proporciona aumento da participação dos ramos na determinação da produtividade.

A seguir é apresentado um gráfico (Figura 1) que demonstra a contribuição relativa dos ramos na produtividade de grãos em diferentes populações de plantas, em cultivar moderna de soja, com tipo de crescimento indeterminado e grupo de maturidade 6.1. Se considerarmos a população indicada para essa cultivar, 250 a 320 mil planta/ha, a participação média dos ramos na produtividade, estimada pelo modelo, será de 20% e 6%, respectivamente. Por outro lado, se considerarmos uma população menor, 150 mil plantas/ha, a participação dos ramos na produtividade será de 40%. Isso demonstra que as condições ambientais foram favoráveis ao crescimento e que a cultivar utilizada apresenta alta capacidade de ramificação. Nesse caso específico, não houve diferenças significativas na produtividade quando a população variou de 150 a 320 mil plantas/ha (média = 3.850 kg/ha), sendo o aumento do número de vagens nos ramos o principal fator para a manutenção da produtividade na menor população. A Figura 2 demonstra os ramos de uma planta cultivada em população de 250 mil plantas/ha.

Figura 1. Contribuição dos ramos na produtividade de grãos de soja em diferentes populações de plantas. Londrina, PR.

Figura 2. Planta de soja com ramos. Londrina, PR.