O que ocorre se a semeadura da soja for realizada de forma agrupada?

Alvadi Antonio Balbinot Junior, Pesquisador da Embrapa Soja. 
Esmael Lopes dos Santos, Professor da Unifil.

A distribuição espacial das plantas de soja na lavoura afeta a competição por água, nutrientes e luz, o que determina a produção por planta e, consequentemente, a produtividade por área. O arranjo espacial pode ser alterado pelo espaçamento entre as fileiras, pela população de plantas, pelo cruzamento das fileiras e pela uniformidade de distribuição das plantas nas linhas de semeadura. Tradicionalmente, busca-se a distribuição equidistante das plantas, de tal forma que haja redução da competição entre elas na fileira de semeadura. No entanto, nos últimos anos, alguns produtores e fabricantes de discos para semeadura pensaram o inverso: o que ocorre se a semeadura da soja for realizada de forma agrupada, como se fosse semeada em covas? Nesse caso, seriam agrupadas de 3 a 5 plantas, mantendo a população indicada pelos obtentores das cultivares (imagens abaixo). A hipótese de que a semeadura agrupada de plantas de soja poderia aumentar a sua produtividade, se baseia no “efeito bordadura” entre as covas e ao aumento da penetração de fungicidas e inseticidas na lavoura, em função do atraso no fechamento do dossel.

Distribuição equidistante das plantas – 1 planta a cada 8 cm. A população foi de 250 mil plantas/ha.

Distribuição equidistante das plantas – 1 planta a cada 8 cm. A população foi de 250 mil plantas/ha.

 

Plantas agrupadas de soja - 4 plantas a cada 32 cm de fileira. A população foi de 250 mil plantas/ha.

Plantas agrupadas de soja – 4 plantas a cada 32 cm de fileira. A população foi de 250 mil plantas/ha.

A Embrapa Soja, juntamente com o Centro Universitário Filadélfia (Unifil), conduziu experimentos sobre o assunto em Londrina, PR, em três safras: 2013/14, 2014/15 e 2016/17. Nas duas primeiras safras, foram utilizadas as cultivares NK 7059 RR (Vmax RR) e BRS 359 RR e, na última safra, BRS 359 RR e BRS 1010IPRO. As cultivares utilizadas apresentam tipo de crescimento indeterminado e grupo de maturidade relativa de 6.0 a 6.1. Foram avaliados cinco espaçamentos entre covas – EP (8, 16, 24, 32 e 40 cm). Para manter a mesma população de plantas em todos os tratamentos (250 mil plantas/ha), a distribuição foi de 1 planta por cova em EP8, 2 plantas em EP16, 3 plantas em EP24, 4 plantas em EP32, 5 plantas em EP40.

Nas três safras, não foram observados ganhos significativos de produtividade de grãos com o uso da semeadura com plantas agrupadas, comparativamente à distribuição equidistante das plantas nas linhas. Além disso, é necessário considerar que em velocidade de semeadura superior a 4 km/h, a distribuição agrupada de plantas fica prejudicada, o que pode ser um limitador prático da técnica.

Por fim, para conclusões mais robustas, é necessário a avaliação desse sistema de semeadura com uso de outras cultivares e locais, considerando que pode haver efeito desses fatores sobre a resposta da cultura ao arranjo de plantas.

  • Matheus

    Qual a data de plantio dos experimentos ?

    • Matheus, início ou final de outubro, dependendo da safra. A época de semeadura dos experimentos coincidiu com a maioria das semeaduras da soja na região de Londrina, PR.

  • Gainor

    Algum experimento de plantio cruzado com espaçamento de 90 cm e 390 mil plantas há? Sei de um que alcançou 90 SC/há.

    • Gainor, não fizemos com 0,90 m de espaçamento. Fizemos experimentos com plantio cruzado em espaçamentos que variaram de 0,40 a 0,60 m e ampla faixa de população de plantas. Nesses casos, o plantio cruzado não proporcionou aumentos de produtividade, além de aumentar os custos de produção.

  • Francisco Brandt

    Para regiões onde a emergência das plantas é prejudicada pelo endurecimento do solo pós plantio, pode ser uma técnica viável. o agrupamento gera uma maior força de rompimento do solo.

  • sempre é muito importante, experimentos, pesquisas, ser bem estudado ,o que vale no final é a producão.

    • Casimiro, a produtividade, a viabilidade operacional, o impacto ambiental e, sobretudo a viabilidade econômica são fundamentais para adoção de determinada tecnologia.

  • Joelson magnani

    Ola gostaria de saber mais de plantio soja agrupado

  • Sérgio André Copetti

    Parabéns pelo trabalho é preciso testar as novas tecnologias antes de colcar no campo.

  • Boa noite. Me chamo Eduardo Scherer, sou eng. Mecânico e desenvolvi os kits de plantio para permitir a semeadura agrupada. A ideia desse método partiu do agrônomo Amarildo Vieira de Borrazopolis-PR que nos solicitou o melhor projeto possível de discos que permitam boa uniformidade e equidistância entre os grupos de plantas, no caso 30 a 33 cm entre covas. Embora seu resultado não tenha produzido mais que o sistema convencional, pode ter haver com a variedade utilizada, tipo de discos e velocidade. Digo isso porque temos 2 grupos com aproximadamente 300 pessoas debatendo esse método (grupos no WhatsApp) e até o momento tivemos 12 a 13 resultados pós-colheita aonde 9-10 efetivamente produziram mais que o sistema convencional. Mesmo nesses 4-5 casos em que não se produziu mais, também não produziu menos. Ou seja, não inviabiliza o método e ainda pode-se ter benefícios na pulverização pelo maior espaço entre plantas e sem duvida facilita muito a emergência de plantas em solos muito compactados e pós-chuva pesada. Seria interessante o senhor entrar nesses grupos de WhatsApp para avaliar melhor o método. Deixo aqui meu contato para podermos conversar e lhe inserir no grupo. (45) 99935-1677 (Eduardo Scherer)

    • Prezado Eduardo, grato pelo contato. De fato, nas 3 safras que conduzimos os experimentos, nunca tivemos redução de produtividade na soja agrupada em relação ao espaçamento equidistante entre as plantas na linha. As produtividades em todas as situações testadas foram similares – de 2.500 a 4.800 kg/ha, dependendo da safra e da cultivar. Não temos resultados científicos sobre o impacto da tecnologia sobre a penetração de agrotóxicos no dossel, nem tampouco sobre a emergência em solos com alta resistência à emergência das plântulas, porque a nossa condição de campo não foi essa. Enviarei meu número de celular para o senhor.

  • Euripedes Severino

    Boa dia. Sou graduando em Agronomia pela UEG. E nessa safra passada conduzi um experimento testando o plantio agrupado. Queria ter acesso ao trabalho realizado com a embrapa. Teria como ?