Projeção de Milho de Março da Conab é muito baixa em 91% dos anos

Hoje, a Conab divulgou seu relatório de março com uma produção estimada de 113 milhões de toneladas na soja e 87,2 milhões de toneladas no milho. No caso do milho, a estatal reduziu o tamanho da safra em relação ao relatório de fevereiro (88 milhões de toneladas), em 730 mil toneladas. O motivo foi uma leve redução de área e também na produtividade.

Existe uma grande tendência para que o relatório de março da Conab traga um valor de produção menor do que o número final a ser colhido. A AgResource analisou os últimos 11 anos de relatórios de março da Conab para descobrir se os valores estimados neste mês estão em linha com a safra final. Dos últimos 11 anos, a estimativa de março da Conab foi inferior ao total colhido em 10 anos. Somente em 2016, com a quebra devido à seca no Centro-oeste, a estimativa de março ficou acima do total colhido.

O USDA divulgou seu relatório hoje e reduziu a safra brasileira de 95 milhões de toneladas para 94,5 milhões de toneladas. Analisamos a projeção de safra de 40 empresas e analistas, e o valor médio das estimativas apontava uma safra brasileira do tamanho de 90,8 milhões de toneladas (estimativas variam entre 85 milhões de toneladas e 96 milhões de toneladas).

O que pode acontecer?

Se levarmos em conta os anos em que a projeção de Conab foi menor do que o total colhido, a redução média foi de 6,8% (variando entre 1,3% até 18,3%, clique no gráfico para ampliá-lo). Se adicionarmos os 6,8% à estimativa de março da Conab, o total colhido no fim da safra pode ser de 93,2 milhões de toneladas, em linha com os 94,5 milhões de toneladas do USDA.