Votos de protesto, com ou sem Lula

É sempre arriscado levar pesquisas eleitorais ao pé da letra. Ainda mais em cenário tão instável e a 8 meses das eleições. Além disso, muita gente boa duvida das intenções das pesquisas, relembra os vários erros recentes de projeções e tem até quem jure que “é tudo comprado” pelo partido A, candidato B ou grupo C.

Mesmo assim, com todas as restrições às pesquisas eleitorais, convém prestar atenção em alguns aspectos do Datafolha divulgado hoje.

1) Lula não estará nas urnas em 7 de outubro, salvo um reviravolta monstro na Justiça Eleitoral. Assim, há duas questões sobre ele. Primeira, o ex-presidente conseguirá eleger um novo “poste”? 53% dos entrevistados nesta pesquisa disseram que não votam num indicado por Lula. Pela lei, o PT poderá trocar seu candidato até 19 de setembro. Marina Silva e Ciro Gomes despontam como “herdeiros” diretos dos votos lulistas. Segundo, agora condenado, Lula tem rejeição de 40% dos eleitores sondados.

2) Embora lidera o certame sem Lula na urna, Bolsonaro perde de todos os adversários no segundo turno projetado pelo Datafolha. Pode ser resultado das denúncias de aumento patrimonial vultoso dele e de sua família ou apenas um momento ruim do deputado de 7 mandatos e discurso radical. Ele tem 29% de rejeição.

3) Brancos, nulos e indecisos somam 36% do total, segundo as respostas dessa pesquisa. Um volume assustador. É possível que seja efeito da indignação com o processo de impeachment de Dilma, traumático e doloroso ao País. Ou a indignação com o megaescândalo de corrupção revelado pela Operação Lava Jato na Petrobras e em outras áreas estatais. Ou, ainda, apenas um sintoma da apatia e do distanciamento das pessoas em uma época tão distante das eleições?

4) Alckmin e os candidatos do “centro” político estão longe, muito longe de ameaçar a contraposição da dobradinha radical Lula-Bolsonaro.

Tudo somado, temos que os votos de protesto serão bastante comuns. Seja pela esperada ausência de Lula na urna, seja pela falta de candidatos que animam os eleitores. Como se vê, o caminho será ainda mais longo até outubro.

 

6 respostas para “Votos de protesto, com ou sem Lula”

  1. Cleofas disse:

    3queremos Bolsonaro onesto não é sujo de corrupção como todos os outros hoje o direitos humanos ta invertido isso tem que acabar Bolsonaro tem peito ele e nosso trump policiais tão morrendo bem pode mais proteger a sociedade não tem direito descriminação com índios quilombola agricultores sem direito algum todos multado pelo Ibama nome sujo mais trabalhando para de plantar para levar comida para cidade .fora corruptos e Bolsonaro presidente.

  2. Cleofas disse:

    Fora corruptos.

  3. Emanuel Ribeiro disse:

    “Aumento patrimonial vultuoso”.
    Gostaria que o autor do texto definisse o mesmo aumento patrimonial dos filhos e da finada esposa de Lula, só pra eu verificar se o adjetivo “vultuoso” vai ser compatível com o montante aumentado…

  4. Braz Eustaquio de Morais disse:

    Olha, lendo o texto publicado, que analisa a pesquisa, fiquei com a impressão de que o autor tem uma certa simpatia pelo PT. Eu sinceramente ainda não tenho um candidato* mas no PT, não voto jamais. Só quem não tem qualquer compromisso com a nação e seus descendentes, apoiaria os destruidores dos pilares do povo brasileiro…

    • maurozanatta disse:

      Prezado Braz, o Blog tem oferecido, ao longo de vários meses, uma visão macro da política e da economia. Uma rápida olhada nos textos anteriores comprovará isso.
      Entendo que a política desperte paixões e desconfianças mútuas. Aqui neste espaço, porém, não se verá defesa de candidato A, B ou C. Menos ainda de partidos ou grupos políticos.
      E ainda menos declarações, explícitas ou implícitas, de simpatias ou antipatias, embora este seja um espaço de opinião acerca dos bastidores da política e da economia.
      Continue acompanhando o Blog. E, se lhe for possível, por favor, leia os posts anteriores.
      Obrigado pela leitura. Abraço.
      Zanatta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *