Maioria dos finalistas já disputou provas de cabresto

Começa nesta quinta-feira (24) mais uma final de Freio de Ouro. Considerada a mais importante das ferramentas de seleção da raça Crioula, a 36ª edição demonstra que os objetivos de seus idealizadores têm sido alcançados.

Morfologia comprovada posteriormente na função – foto Felipe Ulbrich / ABCCC

Tal constatação é observada ao analisarmos o catálogo de conjuntos inscritos para a final. Entre as 48 fêmeas, 29 já disputaram competições de morfologia. Nos machos este número aumenta para 32.
Ou seja, o “cavalo crioulo moderno” sintetiza o pensamento dos primeiros crioulistas que, lá atrás, já previam que para se alcançar o animal ideal é preciso que este seja bem conformado e também funcional.

Por Sandro Fávero