Fabinho é o ginete com mais animais classificados

Esta quinta-feira (27) marca o início da contagem regressiva para a grande final do Freio de Ouro. Daqui a um mês, conheceremos os novos campeões da principal competição da raça Crioula. Depois de nove etapas, já sabemos quem se garantiu em Esteio, mas a confirmação ainda depende das inscrições, que se encerram no dia 7 de agosto.
Analisando os resultados, observamos que 48 ginetes se classificaram para a decisão.
Este é exatamente o mesmo número do ciclo passado. O fato novo é que os principais nomes da competição garantiram menos vagas que em 2016.

Fabinho Teixeira da Silveira é o ginete que mais classificou animais para a final

Fabinho Teixeira da Silveira, que lidera o ranking com 9 animais, no ano passado tinha 11. Daniel Teixeira vem logo atrás com 7. Na edição anterior estava à frente no quesito, com 13.
Guto Freire tinha 12 em 2016 e agora 6. Milton Castro, o maior vencedor entre todos, disputou a final passada com 2 animais e nesta só terá 1.
Lindor Collares tinha 5 e desta vez apenas 2. Antonieto Rosa, Freio de Ouro nas fêmeas, disputou a final com 4 e agora vai com 1.
As exceções são Claudio Fagundes que subiu de 2 para 4 e Zeca Macedo, campeão entre os machos em 2016, quando classificou 3 animais, e chega este ano com 5.
A boa notícia fica por conta do desempenho de dois ginetes da nova geração: Eduardo Weber de Quadros e Fabrício Barbosa.
Dudu que não disputou a final passada, terá 5 cavalos em 2017. Quatro são da Cabanha Gameleira (GO), criatório que mais classificou conjuntos.
Fabrício garantiu 4 exemplares na Expointer, o dobro da última edição.

Por Sandro Fávero