Preços do açúcar e etanol em queda livre. Isto vai continuar?

A partir de junho passado tivemos uma grande surpresa com os preços de açúcar e etanol no Centro-Sul do Brasil, responsável por 90% da safra brasileira.

A queda de preços foi impressionante. No caso do açúcar de mercado interno a queda foi de 20%. No caso do etanol a queda foi bem menor : 8,2% para o anidro e 5,5% para o hidratado.

De qualquer maneira, a receita líquida da usina não foi suficiente no final de Junho/17 para cobrir as despesas de produção. Ou seja, o EBITDA foi negativo.

E porque aconteceu isto?

Alguns motivos que explicam a queda:

·       Redução forte dos preços do açúcar no mercado externo, motivada por expectativas de excesso de oferta global e clima normal no mundo açucareiro.

·       Redução do preço da gasolina no mercado interno, o que inibe a competitividade do etanol na bomba do posto de serviços.

·       Bom andamento da safra no CSUL devido a um clima mais seco que favorece a moagem da cana. Com isto a pressão de oferta aumenta.

Esta situação vai continuar?

Os preços nos mercados interno e externo atingiram níveis baixos suficientes para atrair compradores e inibir vendas de produtores.  Além disso, os fundos de investimento podem aceitar que o momento é de compras. Em outras palavras: os preços podem mostrar uma recuperação no curto prazo.  

No médio prazo pesa o excesso de oferta global de açúcar e isto pode reverter um eventual movimento de alta dos preços.

Em resumo: o produtor de açúcar e etanol deve aproveitar preços melhores que porventura venham a ocorrer para fixar em mercados futuros os preços de seus produtos.

Por enquanto esta safra está com preços piores do que imaginávamos quando de seu início.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *