O agronegócio está sangrando

No início era clima de festa de campeonato com a greve dos caminhoneiros. O agronegócio apoiava. Um erro gigantesco de foco. Assim como na tourada, onde o touro, ao invés de perseguir o toureiro, fica hipnotizado pelo movimento do pano vermelho.

Assim ficou a sociedade brasileira. Passados alguns dias, a realidade bateu à porta.

Muito maior do que todas as crises de carnes fracas, do que os embargos do pescado; muito maior do que as discussões insanas de meia dúzia que decidiram, por exemplo, tomar a Embrapa. Maior do que se rebelar agora contra o tabelamento do frete; muito maior do que nossos concorrentes internacionais ou de que todas as ONGs que nos acusam de desmatamento.

Caímos na real. O agro se depara hoje com a maior de todas as crises já vividas. Não cumprimos contratos com clientes internacionais. Não recebemos insumos nos navios parados e pagando demurrage (significa uma multa que é aplicada pelo armador, ao seu cliente que está utilizando um container na importação, pelo atraso na sua devolução), não recebemos trigo pro pão… um milhão de produtores da agricultura familiar em suas cooperativas sofrem.

Há leite esparramado pelo chão, o que leva junto o amor, o sangue e o suor de todo um sistema colapsado.

Quem fez o colapso? Os caminhoneiros? Não. Novamente seria mirar nos panos do toureiro e não no toureiro.

Assistimos uma sociedade civil desorganizada, onde quem achava que comandava a greve na verdade não comanda. E quem achava que negociava não negocia.

Vimos um governo do desgoverno. E acima disso, cobramos aqui veementemente o papel da sociedade civil organizada.

As confederações nacionais e o que constatamos agora é exatamente a sua inoperância. Outros utópicos amantes dos meios e não de quem os manipula colocam a culpa em redes sociais.

Temos sim uma inteligência articulada politicamente orquestrada, com hordas liberadas no controle do país.

O que nos resta? A execução realista imediata da autoridade com os meios facultados na constituição do Brasil.

Hora da lei, responsabilidade e autoridade. O agronegócio brasileiro está sangrando!

Temos muitos analistas e conversadores. É hora de realistas executores. Governo e a lei.

17 respostas para “O agronegócio está sangrando”

  1. Claudio Marques disse:

    Perfeito! Já se ultrapassou há alguns dias o limite do bom senso. É preciso reagir imediatamente!

  2. Decio Gazzoni disse:

    Tejon, sem dúvida a irresponsabilidade de lideranças do agronegócio, sem visão estratégica sequer de uma semana à frente, se aliaram com a inconsequência dos camioneiros, para nos impor perda de dezenas de bilhões de dólares. Tudo bem, o Brasil é riquissimo, podemos nos dar a este luxo.

  3. Anderson Galvão disse:

    Tejon,

    Comentário preciso e oportuno. O momento realmente com vida não só o setor agrícola mas todos os demais setores da economia brasileira é uma profunda reflexão.
    As Verdadeiras pessoas que impactam no custo, não só do combustível, mas de todos os produtos e serviços comercializados no Brasil não estão sendo engraçadas neste ou em nenhum outro movimento.
    Apesar da carga tributária que incide sobre tudo existe na verdade para o financiamento de uma máquina pública pesada ineficiente, na esfera municipal, estadual e federal.

    A se nós, consumidores, queremos de fato produtos mais baratos, em algum momento teremos encarar o desafio de responder a principal questão: qual o tamanho e o tipo de estado que queremos para o Brasil?

  4. As pessoas que até pouco tempo criticavam o PT e toda a esquerda pela política de desonerações e obstruções de vias públicas, respectivamente, agora defendem os caminhoneiros com suas pautas corporativistas e seus bloqueios. Mais paradoxal, impossível.

  5. Said Zeitouni disse:

    Sou um pequeno produtor rural na ilha de São Luiz e desde sexta-feira não consigo vender nada. A alegação de meus compradores é que não podem abrir para negociar apenas a minha produção .

  6. Rubens Pavão disse:

    Como pode termos um termômetro constante e altamente profissional como você. Um analista disposto a contribuir sempre.
    É termos um governo sem a dupla inteligência, básica, para antever o desastre anunciado .
    Tejon, diante do discurso de hoje de um Brasil que não vemos, não há o que TEMER. Oremos!

  7. Pedro Tassi disse:

    Mais importante do que os ajustes concedidos , a greve deixou evidente que o Brasil precisa de um projeto de redução da carga tributária , redução das benecies aos altos salários e custo das estatais. Privatizar a Petrobrás e terminar o monopólio do petróleo. Reforma política imediata. Fica a pergunta : A eleição de 2018 conseguirá estas reformas ?

  8. João Batista Duarte Neto disse:

    Mais uma vamos pagar a conta. 18000 mil litros de leite jogador fora até agora
    Como pagar
    Contar a folha de pagamento dos funcionários cooperativa as despesas em geral
    o

  9. Silvio Medeiros disse:

    Único caminho usar a força !
    Exército assumir a direção dos caminhões e iniciar o transporte de cargas . Como fez Ronald Reigan na greve dos pilotos .

  10. renata disse:

    Muito interessante esse site. Parabéns pelo trabalho

  11. Clelia disse:

    Pois comecem as reformas rapidinho -política e tributária -senão acontecerá novamente. A nós, o povo, pouco importa os teus bilhões perdidos, ele não chega até nós! O que chega são os impostos que nos sangram e empobrecem ainda mais! Vcs ficarão mais pobres? Bem vindos ao time!

  12. Lima disse:

    O Brasil vem sangrando a anos, a educação também, segurança, que segurança? Algum político pensa no pobre, ou melhor algum político pensa? Oi

  13. Rodolpho disse:

    Lúcido, lúcido lúcido!

  14. William Ishiy disse:

    Pior do que fazer o diagnóstico, é Perceber que não há “médicos” competentes para prescrever o tratamento correto

  15. Grande amigo Tejon
    Suas considerações mostram o verdadeiro CAUS .
    A quem devemos responsabilizar toda esta sangria .À nós sociedade civil pela aceitação do todo ao próprio governo que não governa aos políticos falsos e HIPOCRITAS que acham que o país é deles:
    Remédio a ser adotado : Cobrar insistentemente nossos direitos mudando esta estado de coisas e votar em candidatos sérios e verdadeiros

  16. Flavio Humberto disse:

    O agronegócio sangrou foi com julgamento do funrural e não com a paralisação de transportes, se faltou ração é porque não tinha estoque na granja, o leite a o leite desse preço é melhor jogar fora, o boi a 130@ da prejuízo não pode ser vendido, então resumindo o agro tá sangrando faz tempo

  17. Paulo Sendin disse:

    Desde o início do movimento fiquei abismado com o apoio dado por lideranças empresariais urbanas e, mais ainda, por lideranças rurais. Quem conhece minimamente os processos de produção do Agronegócio veria que os problemas criados pela greve recairiam fortemente nas cadeias de produção agrícolas. Sem entrar no mérito ou necessidade da paralisação em si, agora só resta ao Agronegócio, literalmente, chorar sobre o leite derramado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *