Caminhoneiros em protesto – O Brasil precisa disso

O Brasil é movido a caminhão; a safra brasileira movida a tratores, implementos automotrizes, e colheitadeiras. Isso tudo significa diesel.

Em cima desses veículos estão pessoas, profissionais do transporte, operadores de máquinas e agricultores.

A Petrobrás, indústria do etanol e biodiesel, foi destruída por uma prática populista, típica das decisões do famoso livro de George Orwell, A Revolução dos Bichos – se você não leu, leia e antes de dormir leia para seus filhos – em pleno Governo Dilma.

Pedro Parente, presidente da Petrobrás, parente recebeu a missão de salvar a nossa estatal e está fazendo uma política de preços dentro de um figurino de gestão correta sob o ponto de vista de quem tem o dever de recuperar a Petrobrás para os acionistas, e nesse sentido, os preços atuais da Petrobrás refletem exatamente as realidades internacionais.

Entretanto, um país que é movido por caminhões, onde a dependência dos caminhoneiros e seus custos são formados nas bombas de combustíveis, onde as safras têm, da mesma forma, no combustível uma variável significativa, e quando não olhamos apenas para as lavouras de exportação, como a soja, que recebe do câmbio um estímulo na hora da venda, porém do mesmo câmbio pode receber um castigo na hora da compra do fertilizante, das sementes, dos químicos, mas que da mesma forma chegam às suas fazendas pelos caminhões.

Temos sim que ampliar a discussão sobre os impostos reinantes sobre esse setor crucial da vida brasileira.

Aumento de 56,5% do diesel em 10 meses é justo para a gestão da Petrobrás, mas injusto para os clientes da Petrobrás.

Ainda existe alguma soja sendo transportada, mas já começamos sim a entrar no preparo dos próximos plantios. O setor de hortifruticultura, das hortaliças, verduras, legumes e frutas não pára nunca. O movimento diário dos Ceasas, supermercados e feiras é ininterrupto.

Precisamos cair na real. Viva o poder do incômodo! O que nos incomoda nos movimenta… ou deveria movimentar. Mas o movimento precisa ser de toda a cadeia produtiva. Não temos condições mais no Brasil de ter o custo do governo do tamanho dos seus impostos, da ineficiência sistêmica que gera a entropia elevada das cadeias produtivas. Não temos condições de continuar assim.

As decisões precisam contar com a presença e o protagonismo das representações da Sociedade Civil Organizada.

CNA, CNI, CNTranportes, CNC do comércio… os representantes lúcidos da classe empresarial devem assumir um compromisso com o capitalismo consciente, e atuar, exigir e participar do grande debate das tomadas de decisões sistêmicas conjuntas.
Eu continuo ao lado da afirmação do ex-ministro da Agricultura, um dos mais brilhantes que conhecemos na história, o ministro Alysson Paolinelli que disse: “Eu não creio mais em governo…”.

Impostos matam. Decisões que precisam ser sistêmicas tomadas por apenas um elo da corrente do sistema, também mata. Governar representa diminuir a dose letal de altas entropias em qualquer parte da vida de um povo.

Uma resposta para “Caminhoneiros em protesto – O Brasil precisa disso”

  1. Jose Augusto baldassari Filho ] disse:

    O Pedro Parente está tentando consertar os estragos na Petrobrás,principalmente os realizados pelos desgovernos petistas,a roubalheira desbragada,o congelamento de preços e a péssima administração motivada pelas eternas indicações políticas em seu Conselho,Diretoria e gerencias.Esta greve poderá ser útil para chamar a atenção da sempre desavisada sociedade em relação aos altissimos impostos cobrados,não só em combustiveis mas praticamente em tudo,isto para sustentar um Estado a deriva, sem nenhum projeto para o país, desonesto, ineficiente,inflado descomunalmente pelas quadrilhas que dele se apossaram.Sem a urgente reforma/redução do Estado,federal,estaduais e municipais,não haverá solução pois este problema é o pai de todos os problemas nacionais e quanto mais,irresponsávelmente,o Congresso,o Judiciario e o Executivo protelarem a reforma/redução,menor será o espaço de manobra para realiza-la e mais alto será o custo social e econômico.Esta é a ÚNICA solução para reduzir o enorme deficit público que causa a ausência do Estado em praticamente todas as áreas nas quais ele deveria atuar por dever constitucional.Não precisa ser um “gênio” econômico para descobrir isto. O resto é blá blá blá e a mais pura enganação populista – Por JAB – Maio de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *