Lula vai para a prisão, mas as causas continuam livres.

Prisão de Lula deixa algumas causas livres.

 

 

Plantações rurais

Então o mega incômodo nacional a prisão ou não prisão do Lula, a moral do supremo tribunal federal, salva por apenas 6×5, e a não mais lava jato, mas uma pororoca numa briga sem final previsível entre as forças dos 3 poderes, lenta, lenta e lenta.

Este será o cenário inexorável brasileiro e dentro dele o agronegócio.

As burradas internacionais de usar alimentos como armas nas estratégias militares, na luta pelas geografias políticas não são novidade alguma.

O governo cárter, no século passado já usou embargos de alimentos contra a Rússia, ainda união soviética.

Ao longo da história a guerra por territórios e acesso à alimentação, estão sempre constantes, e mesmo ao ler Mein Kampf, de Hittler, lá ele explicitava a necessidade da guerra pela mesma razão, terras para produção.

A China trocou sua estratégia de autossuficiência a qualquer custo, por uma inteligência de segurança alimentar visando novos métodos.

E de novo, para a ira e fúria dos produtores americanos dos Estados Unidos, lá veio Trump e consegue um obstáculo nas exportações de alimentos para a China, que significa sozinha 40% de toda a importação de soja no mundo, e chineses estão agora no Mato Grosso negociando carne.

E do Brasil, representa 80% das nossas exportações da leguminosa.

Então, enquanto o mundo lá fora, joga ainda mais o mega cliente do século XXI , o chinês no colo do nosso gigante tropical o Brasil, aqui dentro iludidos pensam que nossos problemas se resumiriam a tirar a ponta do iceberg de uma tenebrosa cultura de estado, na figura do porta bandeiras dessa escola de samba, o Sr. Lula.

Ao tirar a ponta desse iceberg da burocracia, da incompetência, da lentidão vagarosa de um sistema atolado no lodo, lodo esse de onde não surgirá flor de lótus nunca, precisamos soar as trombetas, cada vez mais fortes e uníssonas.

O agronegócio precisa da sociedade civil organizada, estruturada e orquestrada.

O ministro Roberto Rodrigues, na cátedra da USP, está reunindo estudos e os melhores especialistas para um plano de alto nível no agro brasileiro, parabéns Roberto Rodrigues! O ministro Alysson Paolinelli, um dos mais brilhantes da história disse “ eu não acredito mais em governo “.

 E nós aqui reverberamos.
Até quando o Brasil Que empreende e tem cooperativas que crescem a dois dígitos mesmo em meio à crise, que vira um competidor invejável no agro mundial, e que abastece toda a sua população com também flores, e hortifrutigranjeiros.

Até quando esse Brasil do agro vai ficar acreditando e esperando por governo e achando que a prisão do Lula resolve a doença? Cuja causa, está numa cultura Estado dependente que precisa ser extirpada.

A praga do populismo e contra essa praga não inventaram ainda um eficaz defensivo ou agrotóxico como preferirem, que o elimine em duas ou três pulverizações.

Hora de um Brasil adulto, que começa quando parar de ser por governos impelidos, e que cessa quando para de ser auto responsável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *